A Polícia Civil deflagrou ontem a operação Mosaico, com intuito de combater desmanches e comércio clandestino de peças usadas de veículos n o Estado. No Norte de Minas, 15 cidades foram alvos da ação, com 18 estabelecimentos fiscalizados, todos irregulares. Não houve prisões, só apreensão de documentos para averiguação. 

A operação foi realizada em 140 municípios mineiros. No Norte, a ação foi deflagrada em Taiobeiras, Montes Claros, São João do Paraíso, Rio Pardo de Minas, Janaúba, Monte Azul, Jaíba, Januária, Brasília de Minas, São João da Ponte, Manga, Montalvânia, Itacarambi e São Francisco. 

A ação da Polícia Civil foi através da Delegacia de Trânsito (Detran) e cumpre a “Lei do Desmonte”, regulamentada no Estado em 2017, que tem como principal objetivo inibir o furto, roubo e receptação de veículos, por meio da comprovação de origem das peças que chegam ao consumidor final. Para continuarem operando, as empresas de desmontagem, reciclagem e comércio de peças usadas devem ser credenciadas pelo Detran, comprovando regularidade fiscal, estrutura mínima os serviços e descarte controlado de óleos e fluídos.

“É uma lei recente, então, essas operações são mais para informar os empresários sobre o cadastramento e, ao mesmo tempo, averiguar alguma irregularidade”, disse o delegado do Detran Danilo Santos Ferraz. 

O consumidor também pode ajudar a desestimular o comércio ilegal de peças usadas, comprando somente em empresas credenciadas pelo Detran-MG.