Não é todos os dias que Cleide Fiuza ouve o barulho da caixa d’água enchendo em casa, no bairro Eldorado. O abastecimento ocorre em dias alternados. E quando o produto chega, não é motivo de comemoração. Ao abrir as torneiras, a dona de casa se depara com um líquido escuro, barrento, que não tem como ser usado.

Essa é uma reclamação comum de moradores em vários bairros de Montes Claros nas últimas semanas e que tem movimentado as redes sociais. As denúncias apontam problemas no Eldorado e Monte Sião há cerca de um mês. Mas também já foi registrado no Santos Reis, Nova Morada, Vila Atlântida, Alcides Rabello, Village 1, Centro, Santa Cecília, Novo Delfino, Delfino, Nossa Senhora de Fátima, Residencial Vitória, Jardim Brasil, Vila Luiza e Sumaré. 

Para conseguir utilizar a água, Cleide Fiuza deixa a torneira aberta até que o líquido mais claro comece a descer. Com isso, o gasto tem sido maior e a conta de água tem vindo mais cara.

“Aqui no bairro falta água em um dia e quando volta fica barrenta. Todo dia pela manhã a água está escura. Deixo a torneira ligada durante muito tempo para a água suja sair e depois que a cor volta ao normal, ainda fervo para fazer comida. Isso é um descaso, porque estou gastando mais água, a conta vem cara e não tenho qualidade”, reclama.

No Santa Eugênia, Emerson Queiroz afirma que decidiu cobrar na internet depois que o problema da água barrenta persistiu por mais de uma semana. “Neste período, tanto eu como minha filha tivemos reação na pele e começamos a suspeitar da água. Separei uma garrafa com água para fazer um teste”, disse.

Já no Ciro dos Anjos, a situação é diferente. Não chega água nas torneiras. De acordo com moradores, o bairro ficou sem abastecimento por quatro dias na semana passada. Além disso, desde domingo o problema persistia.   

AUDIÊNCIA
A qualidade da água fornecida pela Copasa, em Montes Claros, tem chamado atenção também da Câmara Municipal. Uma audiência pública será realizada em 13 de junho na Casa Legislativa, às 7h45, para questionar a atuação da concessionária na cidade.

O pedido da audiência foi feito pelo vereador Wilton Dias (PHS), que quer explicações da companhia para as situações apresentadas pelos moradores.

“Será que a Copasa está cumprindo este contrato (renovado por mais 30 anos com o município), servindo água de qualidade para o povo de Montes Claros, que paga um preço tão alto? Sabemos que não é tão elevada a qualidade da água”, questionou.
 
RECORRENTES
Em fevereiro deste ano, O NORTE já havia mostrado problemas na qualidade da água nos bairros Santo Amaro e Residencial Serrano, também com aspecto barrento e mau cheiro.

Em abril foram divulgados dados de uma pesquisa que apontaram que a água consumida em Montes Claros de 2014 a 2017 estava contaminada com pelo menos 18 tipos de agrotóxicos.

Em nota, a Copasa informou que desde a última sexta-feira (24/5), quando tomou conhecimento da alteração da cor da água em bairros de Montes Claros, está acompanhando e tomando as medidas necessárias para solucionar o problema.

Além disso, a companhia afirma que fez a limpeza do reservatório e das redes na região e intensificou a análise da água tratada. Sobre o desabastecimento no Ciro dos Anjos, a Copasa informou que a situação foi normalizado na tarde desta segunda-feira (28/05) e que a interrupção do fornecimento foi necessária para possibilitar a correção de vazamento na rede.