Preocupado com o aumento da circulação da variante Ômicron no país, o Ministério da Saúde anunciou duas mudanças no processo de vacinação dos brasileiros. A partir de agora, o intervalo de aplicação entre a segunda e a terceira doses contra a Covid-19 passa a ser de quatro meses. Além disso, imunossuprimidos a partir de 18 anos vão receber uma quarta dose.

As mudanças valem a partir desta segunda-feira (20). A redução do intervalo da dose de reforço para os maiores de 18 anos já havia sido adotada pelo governo de Minas, na semana passada. Agora, a regra é válida para todo o país.

Já a aplicação de uma quarta dose nos imunossuprimidos é uma tentativa, segundo o Ministério da Saúde, de ampliar a resposta imune desse público. 

Segundo orientações da pasta, estão aptos para vacinação os imunossuprimidos a partir dos 18 anos que já receberam as três aplicações do esquema vacinal (duas doses e um reforço). A quarta dose deverá ser aplicada após quatro meses da terceira.

Outra justificativa do órgão para a adoção da nova medida é o surgimento da variante Ômicron do coronavírus, com casos já confirmados no Brasil.

A pasta considera também que o avanço da vacinação no país reduziu de maneira significativa a ocorrência de casos graves e óbitos pela Covid-19.

Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a dose de reforço é importante para dificultar a circulação de novas variantes no país.

IMUNIZANTE
A orientação é que a dose de reforço seja feita com o imunizante do consórcio Pfizer-BioNTech. A preferência é para essa marca, mas os imunizantes da Janssen e da Oxford-AstraZeneca também poderão ser utilizados, a depender da disponibilidade.

Na sexta-feira (17), o Ministério da Saúde divulgou resultado de estudo realizado pela Universidade de Oxford, do Reino Unido, sobre a eficácia das diferentes marcas para a aplicação da dose de reforço. 

Segundo as análises realizadas por pesquisadores que participaram da pesquisa, a vacina da Pfizer-BioNTech pode ampliar em até 175 vezes a quantidade de anticorpos de uma pessoa, o maior índice entre as marcas utilizadas no Brasil.
 
MONTES CLAROS
Dezoito unidades de saúde de Montes Claros estão com estoque disponível da vacina Janssen para aplicação da segunda dose, conforme nova orientação do Ministério da Saúde.

A cidade recebeu nova remessa nesta segunda-feira. Antes de se dirigir a uma unidade de saúde, confira se ela foi contemplada com o imunizante. Os locais atendidos estão listados nas redes sociais da Prefeitura de Montes Claros.

Quem se encaixa no grupo de imunossuprimidos

I - Imunodeficiência primária grave

II - Quimioterapia para câncer

III - Transplantados de órgão sólido ou de células tronco-hematopoiéticas (TCTH) que fazem uso de drogas imunossupressoras

IV - Pessoas vivendo com HIV/Aids

V - Uso de corticoides em doses =20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por =14 dias

VI - Uso de drogas modificadoras da resposta imune

VII - Portadores de doenças autoinflamatórias, doenças intestinais inflamatórias

VIII - Pacientes em hemodiálise

IX - Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

*Com Agência Brasil