Festas de fim de ano batem à porta e a maioria dos brasileiros não vê a hora de se reunir com a família e amigos para celebrar, após dois anos de muitas dificuldades, perdas, distanciamento e crise.

Com o avanço da vacinação e a queda nos números da pandemia pelo novo coronavírus, muita gente se sente mais segura para confraternizar. No entanto, a chegada da variante Ômicron é um alerta de que o problema ainda não passou e que ainda é preciso atenção e cuidados redobrados de todos.

Levando tudo isso em consideração, o Observatório Covid-19 Fiocruz elaborou uma cartilha que reúne um conjunto de orientações sobre formas mais seguras de passar o Natal e o Réveillon e diminuir os riscos de transmissão da Covid-19.

“Estar vacinado é o melhor presente neste fim de ano”, traz a capa da cartilha. Essa é a mensagem principal da publicação, que alerta para que quem ainda não tomou a segunda dose – mas já está na hora ou passou da hora –, assim como a terceira, que não deixe de se imunizar. O prazo ideal para a vacina começar a agir é de 14 dias – estamos a nove dias do Natal e a 16 do Réveillon. Portanto, para este último, ainda está em tempo.

Segundo o coordenador do Observatório Covid-19 da Fiocruz, Carlos Machado, o cenário atual é mais favorável do que o do ano passado, mas ainda é preciso manter-se alerta, especialmente diante das incertezas relacionadas à nova variante do coronavírus e à intensidade de circulação de pessoas nesse período do ano.

“Por isso, reforçamos que o principal cuidado neste fim de 2021 é garantir que todos estejam vacinados com o esquema completo, incluindo a dose de reforço, caso a pessoa já tenha essa indicação. Para quem ainda não está com o esquema completo, recomendamos que vá ao posto de saúde 14 dias antes do evento para que possa estar protegido e ajudar a proteger os outros também”, disse Machado.

Veja ao lado os outros pontos abordados pela cartilha da Fiocruz.

Cuidados necessários, mesmo com todos vacinados:
– Limite o número de pessoas de acordo com o tamanho do espaço para evitar aglomeração

– Dê preferência aos espaços abertos e mais ventilados

– Evite o uso de toalhas de pano para secar as mãos nos banheiros

– Disponibilize álcool em gel logo na entrada e nos ambientes

– Proteja as crianças pequenas, que ainda não foram vacinadas, deixando–as em locais mais arejados

– Idosos e imunossuprimidos devem ficar em ambientes arejados e usando máscara

– Peça aos convidados que não compareçam caso apresentem sintomas, mesmo que leves
 
Cuidados adicionais se nem todos estiverem vacinados:
– Combinar uso de máscara bem ajustada ao nariz, distanciamento físico de 1,5m e higienização das mãos com água e sabão ou álcool 70%

– Distribuição de mesas e cadeiras, separação de grupos para a ceia em momentos diferentes para garantir que todos possam comer e beber com segurança

– Solicitar que as pessoas levem máscara reserva para o caso de haver necessidade de trocar
 
A cartilha traz orientações também para quem vai viajar.

Mais informações, acesse https://portal.fiocruz.br.

*Com Agência Brasil