Vice de Zema

Preto no Branco / 22/10/2021 - 00h59

Temos assistido a várias especulações em torno do nome que irá compor a chapa encabeçada pelo atual governador Romeu Zema (Novo). A este respeito, tem muita gente imaginando que a escolha será por uma liderança do interior do Estado. Tal possibilidade existe, mas na minha avaliação tudo caminha para que o escolhido seja da região metropolitana de Belo Horizonte. A explicação é simples: vice é cargo de composição e chega para agregar algum valor à campanha. Hoje o adversário direto do chefe do Executivo mineiro é o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, que se as eleições fossem hoje sairia na dianteira na Grande BH. Diante dessa leitura, o provável é que o companheiro de chapa de Zema seja desta região.

Humberto Federal
O assunto político desta semana, em Montes Claros, foi em torno da especulação de que o prefeito Humberto Souto estaria disposto a disputar uma vaga na Câmara Federal, na eleição do próximo ano. A simples divulgação foi suficiente para provocar rebuliço dentro do próprio grupo ligado à administração. É que já tem candidato tentando marcar território, contando com seu apoio e se o fato fosse concretizado poderia comprometer candidaturas. Souto nega que será candidato em 2022.
 
Avenida João XXIII
Em coluna anterior questionamos o fato de as obras da ponte na Avenida João XXIII, em Montes Claros, terem sido concluídas e a prefeitura não ter liberado o tráfego naquela área. A este respeito, o vice-prefeito e secretário de Serviços Urbanos, Guilherme Guimarães, explicou que foi verificada a necessidade de realização de correção, que seria o alinhamento com a avenida. É que a largura da ponte é maior que a da avenida.
 
Telefonia 5G
Na contramão do progresso, Montes Claros deverá ficar fora do sistema de telefonia 5G. É que no município existe uma lei, sugerida na época pelo então secretário de Meio Ambiente, Paulo Ribeiro, que proíbe instalação de novas antenas na área urbana da cidade. Para que Montes Claros seja contemplado com a tecnologia, é necessário que a prefeitura encaminhe à Câmara de Vereadores projeto revogando a lei. Vale lembrar que a própria Anatel já realizou o leilão do sistema 5G.
 
Sexo oposto
Com a decisão do Congresso Nacional, de forma direta o Senado, de manter para as eleições de 2022 o fim da coligação na proporcional e a exigência de 30% de sexo oposto na chapa, grande parte das agremiações não conseguirá atingir o quociente eleitoral. É que se tornou uma missão quase impossível encontrar mulheres com potencial de voto que queiram e tenham condições de enfrentar as urnas. Aqui pelas bandas do Norte de Minas, por exemplo, apenas três nomes aparecem no cenário, sendo elas a atual deputada estadual Leninha, a ex-deputada federal Raquel Muniz e a médica Ariadna Muniz.

Publicidade
Publicidade
Comentários