Mudança na Câmara

Preto no Branco / 02/04/2021 - 00h59

O vereador por Montes Claros Igor Dias (PSL), que assumiu uma cadeira na Câmara em janeiro e, em seguida, se afastou para assumir a Secretaria de Esportes, retorna ao Legislativo já na próxima semana. A decisão já foi comunicada ao presidente daquela Casa, Claudim da Prefeitura, e ao primeiro suplente, Gildeon Gonçalves Durães. Até o momento, o vereador Igor não se manifestou, oficialmente, sobre os motivos de ter permanecido apenas três meses à frente daquela pasta. O certo é que as restrições impostas pelas medidas de enfrentamento à Covid-19 têm inviabilizado todas as ações na área de esporte.

Praça da Catedral
Com o fechamento da Praça da Matriz para reforma, o que até agora não aconteceu, moradores de rua e usuários de drogas decidiram acampar na Praça da Catedral, inclusive hostilizando transeuntes. O local foi transformado em moradia, inclusive com direito a cozinhar naquele espaço. Enquanto isso, a Secretaria de Desenvolvimento Social fecha os olhos para o problema e decide apresentar sugestão apenas para o que realmente chama a atenção dos holofotes da imprensa.
 
Praça da Matriz
A Praça da Matriz em Montes Claros, que até então era considerada um cartão-postal do município, há cerca de três meses foi fechada com a promessa de que seria reformulada. Na ocasião, o deputado estadual Carlos Pimenta (PDT) gravou para a imprensa, dizendo que havia destinado recursos para a obra e que o seu início seria imediato. Independentemente de buscar culpado, o certo é que ninguém mais fala no assunto.
 
Fura fila
Devido aos holofotes da imprensa, a todo instante estamos assistindo nas emissoras de TV as ações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal sobre investigação de empresários do ramo de transporte que supostamente teriam sido vacinados ilegalmente contra a Covid-19. A este respeito, entendo que deveriam agir da mesma forma com relação a governadores, prefeitos e secretários que usaram da função para serem imunizados, mesmo não pertencendo ao grupo prioritário. Pelo visto, a justificativa de que a imunização foi para dar exemplo, bastou.
 
Covardia governamental
A decisão do STF de transferir aos governadores e prefeitos a decisão em torno das medidas de enfrentamento à Covid-19 acabou transformando o assunto pandemia em objeto de exploração política. Agora mesmo, estamos assistindo parte dos governadores se acovardando, no momento em que decidem todas as medidas, agem de forma indevida e transferem os ônus para o governo federal. Aliás, nunca receberam tanto suporte financeiro para enfrentar o problema. O resumo é que não estão preocupados com a vida da população, mas sim, em usar a pandemia como pano de fundo e discurso para tentar a reeleição em 2022, ou eleger o sucessor.

Publicidade
Publicidade
Comentários