Ventos da Independência

Editorial / 05/09/2020 - 00h01

Sopram os ventos da primavera. Setembro chega anunciando as comemorações da Independência do Brasil de Portugal. Mesmo com a pandemia da Covid-19 impedindo as tradicionais celebrações, desfiles e a grande festa cívica que acontece por vários cantos do Brasil, o sentimento de liberdade bate mais forte no coração dos brasileiros.

Mesmo em tempos de pandemia, espera-se que o Brasil siga buscando a sua independência, que não aconteceu por completo até hoje. Mais do que romper laços com o Império português lá em 1822, é preciso romper o espírito de colônia para encontrar um caminho próprio, onde o Brasil seja de fato livre.

Construir um país livre implica na construção de uma democracia fortalecida, com instituições independentes, porém, isentas. Neste aspecto, o Brasil, mesmo após quase dois séculos, continua engatinhando. As eleições são um dos instrumentos mais eficazes, não apenas para a consolidação da democracia brasileira, mas para garantir um país livre a seus cidadãos e, sobretudo, para garantir liberdade, direitos e deveres para a “brava gente brasileira”.

A eleição municipal, quando serão eleitos nos mais de 5.500 municípios brasileiros prefeitos e vereadores, que acontece neste tão atípico 2020, em meio a uma pandemia, é “arma” eficaz para promover essa liberdade sonhada. Que as escolhas possam ser feitas sem as amarras do “coronelismo” que ainda imperam pelo país afora, que não sejam moeda de troca e, o principal, que as escolhas sejam feitas com consciência, após análise dos candidatos e da sua capacidade de gestão. 

Nestas eleições, esperam-se escolhas maduras, pensadas em prol do coletivo e não em interesses particulares ou escusos. Só através do amadurecimento da população, da consciência coletiva do eleitor, é que seremos capazes de fazer a transição do Brasil colônia para o Brasil verdadeiramente livre.

Que este 7 de setembro, mais do que um feriado, seja tempo de reflexão, seja tempo para despertar, para aflorar em cada um o sentimento de brasilidade e, fundamental, o sentimento de responsabilidade com o nosso país, com o nosso futuro, para “o sol da liberdade, raios fúlgidos” brilhem no céu da nossa Pátria Amada, Brasil!
 
 
 

 

Publicidade
Publicidade
Comentários