Pós-pandemia

Editorial / 13/11/2021 - 07h40

Finalmente a pandemia da Covid-19 parece ter dado uma trégua, permitindo dias menos turbulentos. A esperança, na verdade, é que ela se vá de uma vez por todas. Mas é bom aproveitar esse tempo de uma ainda que falsa calmaria, para começar a pensar soluções para os desafios pós-pandemia, porque eles já começam a se apresentar. Dentre os mais urgentes, na fila onde se encontram saúde e economia, está a educação.

O caos que se instalou na educação a partir do momento que alunos precisaram se afastar fisicamente das escolas vai levar anos para ser sanado. Essa é uma herança que muitos estudantes, principalmente os da rede pública, vão levar por toda a vida, já que em função da pandemia a qualidade do aprendizado sofreu queda considerável.

Pesquisas, estudos, teses trazem números que traduzem o quão nociva a pandemia foi para crianças, jovens e adultos. A tecnologia, ferramenta e aliada para as aulas remotas, não esteve disponível para todos de forma igualitária, provocando o aumento do abismo entre os estudantes de escolas particulares e estudantes de escolas públicas.

Não por culpa dos professores, sem dúvida, já que estes se desdobraram para garantir conteúdo e aprendizado. Eles são tão vítimas quanto os alunos... 

O fato é que as escolas particulares investiram muito mais em tecnologia para aproximar a sala de aula dos alunos. E a educação pública, que já estava doente, foi parar na UTI.

Isso reflete na vida futura de quem está na escola pública e diretamente na educação como um todo, já que, com a bagagem de ensino defasada, estes alunos demorarão muito mais para chegar às universidades, para alcançar um diploma, muitos ficando, fatalmente, pelo caminho. Esse gerará um impacto considerável nas questões sociais do país.

Portanto, agora que as aulas voltaram a ser presenciais, urge que governos municipal, estadual e federal se unam para construir políticas públicas que sejam capazes de salvar o futuro dessas crianças, desses jovens e adultos.

Que eles possam ter a sensibilidade necessária para cuidar dessa geração, que embora tenha sido salva do vírus, acabou atingida, em pleno voo, na sua educação. 

 

Publicidade
Publicidade
Comentários