Cenário político em MOC: cartas na mesa?

Editorial / 18/08/2020 - 00h02

Com o aproximar das convenções, as peças no tabuleiro político em Montes Claros se movimentam. O prefeito Humberto Souto, usando o isolamento social como subterfúgio, se mantém longe da pré-campanha e não confirma participação nas eleições 2020. Mas, dá pistas de que está no jogo. Prova disso, são os tapumes que já escondem a logomarca da administração -“MOC É O LUGAR”- nas praças e ruas e, os adesivos cobrindo a logomarca nos carros oficiais. Se a decisão fosse contrária à reeleição, a ação não seria necessária. Outra pista: as inúmeras nomeações que fez no último segundo determinado na lei, de cidadãos de famílias tradicionais de Montes Claros, para cargos-chave em unidades de saúde, usando recursos dos governos Estadual e Federal para o combate à COVID19. Talvez, por isso, a administração venha se furtando a dar transparência, como determina a lei, ao gasto de tais recursos. Se, como diz o ditado, “quem não deve, não teme”, por quais motivos a administração não presta conta, como pede a população?

Com Humberto Souto dando mostras de que vai para a reeleição, o deputado Gil Pereira vê o sonho de ser candidato, postergado. Além disso, a presença de Souto no cenário, leva a disputa de 2020 para uma espécie de reprise da disputa de 2016, pois os principais candidatos serão novamente Humberto Souto, Ruy Muniz e a deputada Leninha. Os dois últimos já declarados pré-candidatos. Mas, lembrando a campanha de 2018, quando o povo elegeu os não cotados como “favoritos”, que não apareciam bem nas pesquisas ou que nem nas pesquisas estavam e, pensando que a COVID19 colocou as eleições de 2020 como atípicas, pois o isolamento social vai quase que impedir o corpo-a-corpo, tradicional nas campanhas municipais, Marcelo Valmor, Dr. Emerson Guimarães, Álvaro Guilherme, Idelfonso Fon Fon, Janaelle Neri, Sarney Jomesoli e Silvano Tolentino, também pré-candidatos à prefeito de Montes Claros, têm chances.

Definido o quadro, ficam as dúvidas: Humberto Souto aproveitou a reclusão, imposta pelo isolamento social, para elaborar Plano de Governo, já que em 2016 usou material elaborado para um município de Santa Catarina, se limitando a CtrlC + CtrlV, ao invés de apresentar soluções reais para a cidade? Sem o planejamento, tanto financeiro quanto de obras, deixado pela administração passada, será possível fazer Montes Claros avançar? Se vencer, Souto continuará afastado da Prefeitura?

A sorte está lançada! Que venham as eleições.

 

Publicidade
Publicidade
Comentários