Toga quente

Coluna Esplanada / 19/09/2020 - 00h02

O ofício formal e público enviado pelo ministro Marco Aurélio ao ministro presidente do STF, Luiz Fux, lembrando o teor de seu voto sobre a decisão de prisão após segunda instância, indica o clima que a Corte terá nos próximos anos. Marco Aurélio não gostou da entrevista de Fux à Veja, na qual ele disse que o debate do tema em plenário foi de “baixa densidade jurídica”. Nos bastidores da toga, não é segredo que os ministros Aurélio e Gilmar Mendes não são tão simpáticos ao presidente Fux. Enquanto Luís Roberto Barroso, alinhado ao amigo Fux, ainda não se entendeu com Gilmar. Há indicativos de vindouros e calorosos debates

Dois apartes
Ricardo Lewandowski – que ainda se estranha com Marco Aurélio – e Dias Toffoli, vez ou outra, gostam de entrar num debate. 
 
Silenciosos
A turma do “deixa disso” ficará por conta dos silenciosos Celso de Mello, Cármen Lúcia, Rosa Weber, Edson Fachin e Alexandre de Moraes.
 
Intensivão eleitoral
O MDB calcula que mais de 15 mil candidatos a prefeito e vereador serão treinados pela Essent Jus, contratada para dar aulas de contabilidade eleitoral e outras regras
 
Apoio paliativo
Presidente do Conselho Federal, Felipe Santa Cruz, conseguiu apoio de parte do Colégio de Presidentes das Seccionais da OAB em desagravo por causa da delação de Orlando Diniz, ex-Fecomércio. Segundo a denúncia, ele teria recebido R$ 120 mil em caixa 2 para sua campanha na Ordem. Santa Cruz rechaça e diz que é vendeta de Diniz, pela denúncia da OAB junto ao TCU dos desvios comandados por Diniz no Sistema S.
 
Peso contra
Mas os presidentes de oito seccionais – ou 30% do Colégio – se recusaram a assinar o documento pró-Santa Cruz, o que expôs e aumentou o mal-estar na entidade. Foram os presidentes da OAB de Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
 
Tô fora!
No fim da quarta-feira, o debate on-line de advogados era tão intenso que o presidente da seccional DF, Délio Lins, não suportou as críticas pelo seu endosso a Santa Cruz, e saiu de um grupo de WhatsApp.
 
Mal na Terra 
Manchete de alto de página do Público, mais respeitado diário em Lisboa, na quarta-feira: “Rio de Janeiro, um estado falhado que dava um filme policial”. Ilustrada com foto do Cristo Redentor.
 
Oba oba 
Surgiram nas ruas de Maringá (PR) centenas de camisas à venda, em bancas, feiras e camelôs, com imagem do ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro como sugestão de candidato a presidente em 2022.
 
Cota Bronzeamento
A PF se vê diante de situação surreal e constrangedora. Pediu exoneração no último dia 10 a agente policial Glaucielle da Silva Dias. Ela entrou na corporação anos atrás no sistema de cotas para negros, mas... é branca e de cabelo liso. Na foto no seu cadastro, que surgiu nas redes sociais, ela está ‘negra’ e de peruca cabelo sarará. 
 
Cegueira
A banca examinadora presencial da PF era composta por no mínimo cinco pessoas, entre agentes e delegados, e ninguém notou. O bronzeamento “nescau-nutella” repercute nas redes sociais e deve render inquérito policial. Glaucielle abriu um cursinho para concurseiros e, acredite, dá dicas ‘de sucesso’ para serem aprovados...
 
Hein!?
O marido de Glaucielle Dias, que também pediu exoneração da PF, manifestou-se em defesa dela no Instagram da ex-agente – que conta com mais de 170 mil seguidores. Alega que ela passou por todas as etapas sem objeções. 

 

Publicidade
Publicidade
Comentários