Palácio x Miranda

Coluna Esplanada / 06/10/2021 - 00h01

Pivô de denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro, de que ele sabia da tentativa de venda superfaturada da vacina Covaxin, o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) vai cair em desgraça na vendeta dos bolsonaristas. Denunciado pelo PTB ao Conselho de Ética da Câmara, o deputado entrou na mira do parlamentar bolsonarista Gilberto Abramo (Republicanos-MG), relator do caso. Para piorar a situação do delator que não apresentou provas, os Bolsonaro têm maioria no Conselho.

A bênção, Santidade
Embarcou ontem para Roma o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e um seleto grupo de parlamentares, com tudo pago por você, para visitar o Papa Francisco.
 
Sim, mas...
O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, negocia uma ampla coalizão para sua reeleição, mas a maioria dos líderes partidários condiciona o apoio ao seu afastamento de Jair Bolsonaro.
 
Reforço a tempo
O STF e a Fiocruz vão apoiar o senador Carlos Portinho no PL 1674/21, o certificado nacional de vacinação e testagem, aprovado no Senado e em análise pela Câmara.
 
Blindagem virtual
A onda de ataques hackers recente a sistemas de grandes empresas, com “sequestro” de dados e pedidos de pagamentos milionários para recuperação, acendeu o alerta também na gestão pública. O GSI intensificou alertas sobre perigos à Segurança da Informação e Comunicações, classificados como “críticos” aos órgãos da administração federal.
 
Alertas
Só neste mês, foram quatro alertas e recomendações sobre “grave vulnerabilidade” de navegadores. “Recomendamos a atualização destes navegadores imediatamente. A atualização elimina, ainda, vulnerabilidades descobertas no início do mês de setembro”.
 
Ira oficial
Presidente da CCJ, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) despertou a ira nos três Poderes, pela demora em agendar a sabatina do ex-AGU André Mendonça, indicado pelo presidente Bolsonaro para o STF. No Judiciário, ministros também estão cada dia mais inconformados com a postura irredutível do ex-presidente do Senado.
 
Fila não anda
É que, além de André Mendonça, estão na fila para análise na CCJ os indicados para o Conselho Nacional de Justiça: Luiz Philippe Vieira de Mello Filho, Marcio Luiz Coelho de Freitas e Salise Monteiro Sanchotene. E para o Conselho Nacional do Ministério Público, Daniel Carnio Costa.
 
Em guerra
A Comissão Mista de Orçamento do Congresso está em guerra depois da aprovação, no colegiado, de uma instrução normativa que prevê a partilha das emendas de bancada de forma igualitária: serão R$ 212,8 milhões por Estado para o ano que vem. A chiadeira é maior na bancada de São Paulo (governistas e de oposição) que alega que a forma de distribuição prejudica os entes mais populosos.
 
Batalhas estaduais
Já parlamentares de outras regiões consideram justa a divisão “equitativa” das emendas de bancada. Conforme o projeto de lei orçamentária para 2022, encaminhado ao Congresso pelo governo, serão R$ 5,7 bilhões para as emendas de bancada (com execução obrigatória). As emendas individuais somam R$ 10,5 bilhões.
 
Prontuários
Chegaram na sexta-feira à sede da PreventSenior dois documentos da CPI da Pandemia com a requisição de todos os prontuários de pacientes da operadora: de março de 2020 a setembro de 2021. “Devem ser encaminhados ao presente Colegiado no prazo de 24 horas”. Até segunda, nada.

 

Publicidade
Publicidade
Comentários