Mala na sacristia

Coluna Esplanada / 25/08/2020 - 00h01

Nesse que é o maior escândalo judicial-policial envolvendo a Igreja Católica no Brasil, o Ministério Público de Goiás investiga se é de Pe. Robson Pereira a megarede de postos Kurujão, no entorno de Goiânia. Pe. Robson é conhecido nacionalmente por ser líder, há 15 anos, do Santuário Pai Eterno, em Trindade, com milhões de fiéis no Brasil. Ele constrói a segunda maior basílica do Brasil – só perde em tamanho para a da padroeira Aparecida – e movimenta, segundo o MP, mais de R$ 20 milhões por mês há dez anos. O poder do religioso e das romarias ao local é tamanho que, anos atrás, um executivo da Ambev propôs construir o megatemplo em troca da exclusividade vitalícia da venda de seus refrigerantes e água nas lanchonetes do Santuário. O padre desdenhou da proposta.

Confessório
A Polícia investiga também se o religioso foi extorquido por família de políticos, que se aproveitou da proximidade, ou se ele foi conivente com a suposta lavagem de dinheiro.
 
Pode isso?
A Empório Brasil está leiloando uma estante de jacarandá, obra de Sérgio Rodrigues (!), com placa do Patrimônio da Câmara dos Deputados. Por R$ 24 mil o lance mínimo.
 
Cadê?
A Anvisa não divulga a lista de laboratórios que têm ou pedem autorização para importar a cannabis para fins de fabricação de remédios à base da planta no Brasil. 
 
Manipulação, não
Aliás, a AGU acaba de ratificar na Justiça Federal do DF as regras da Anvisa que proíbem manipulação de remédios com ativos derivados da cannabis. Seria um drible das farmácias de manipulação, tão comuns nas ruas.
 
Invasão branca
Com a Instrução Normativa nº 9/2020, a Funai deixou fazendeiros ocupantes oficializarem 58 novas propriedades rurais sobre terras Pataxó nas aldeias de Barra Velha e Comexatibá, no litoral Sul da Bahia. A Coluna apurou pelo mapa e in loco que muitas têm plantações de café, milho e eucalipto. Os Pataxó requerem a homologação das terras há décadas. 
 
Mão de obra 
Pior, além de perderem a posse das terras, muitos indígenas são contratados como peões para lavouras dessas plantações. É a única opção de trabalho na região, em muitos casos não regularizados. 
 
Turismo em alta
Justiça a tempo: foram os deputados João Carlos Bacelar (federal) e Jânio Natal (estadual) os anfitriões do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, em Porto Seguro, para relançar plano de retomada no setor. A prefeita Cláudia Oliveira (PSD) não foi convidada porque, além de enrolada na Justiça, não tomou iniciativa sobre isso. 
 
No alambrado 
O pecuarista Ronaldo Granata, um dos chefões do Cruzeiro Futebol Clube, seria candidato a prefeito pelo PTB em BH, mas Roberto Jefferson, dono do partido, não se interessou em apoiar financeiramente a campanha. Granata desistiu.
 
Assalto frustrado
Os usineiros falidos – muitos deles ainda milionários – tentaram no tapetão, mas a AGU foi esperta e conseguiu provar na Justiça Federal a invalidez do pedido de indenização de R$ 72 bilhões (isso mesmo!) por causa de tabelamento de preços do governo federal para o setor sucroalcooleiro entre 1980 e 1990. Os usineiros não provaram o prejuízo (tinham, sim, muitas dívidas milionárias de empréstimos em bancos estatais).
 
Elevador subindo
O mercado para imóveis econômicos não sofreu baque nessa pandemia. A Direcional Engenharia vendeu, apenas em julho, 175 de 600 unidades do residencial Pátio Central, com valor geral de vendas em R$ 42,6 milhões. É só um exemplo da força do setor.
 
Patrulha...
Há o bordão de que o Brasil tem as melhores leis do mundo, no papel, e o pior ‘cumpra-se’, a fiscalização. Para minorar um dos gargalos no meio ambiente, a Associação Brasileira de Membros do MP Ambiental e Fundação Boticário lançam a publicação ‘A Compensação Ambiental do SNUC – Manual de Atuação do Ministério Público’. 
 
...ambiental
O objetivo do documento é auxiliar os membros do MP “na condução das investigações e ações relativas à compensação ambiental”, informa à Coluna a Boticário.

 

Publicidade
Publicidade
Comentários