A pandemia do novo coronavírus resultará em mudanças relevantes na arte, na ciência, na filosofia e também na economia. Para evitar a propagação do vírus, as autoridades de saúde pedem que as pessoas se isolem em suas casas. Ao mesmo tempo, decretos determinam o fechamento do comércio de bens e serviços não essenciais mesmo porque é muito provável que poucas pessoas se arrisquem no atual momento a sair de casa para comprar.

Como alternativa para manter seus negócios, muitas empresas estão adotando o teleatendimento e o delivery, mas vender como antes demandará um tempo de adaptação por parte não apenas de quem vende, mas também de quem compra. As pessoas não deixaram de consumir, mas passaram a comprar somente o essencial, afetando diretamente a economia. 

Na tentativa de evitar uma recessão mais profunda do que a já esperada, o governo tem editado medidas provisórias como a do “Auxílio Emergencial”, voltada para microempreendedores individuais e autônomos, no valor de R$ 600, a serem pagos por três meses. Além desta, a Medida Provisória 936 facultou às empresas reduzir em 25%, 50% ou 70% a carga horária e os salários de seus empregados por três meses – neste período, a remuneração será complementada pelo próprio governo, com base no Seguro Desemprego.

Já a “Medida Provisória 944”, válida para as empresas que faturam de R$ 360 mil a R$ 10 milhões por ano (base 2019), poderá apresentar a folha de pagamento a uma instituição financeira credenciada ao programa, para que o depósito seja feito diretamente na conta do empregado, se limitando a dois salários mínimos.

Antes de tomar qualquer decisão, contudo, o empreendedor deve fazer uma análise de custos apurada de sua empresa. Inteligência financeira e habilidade para negociar são ferramentas decisivas para a sobrevivência de um negócio, especialmente no momento que atravessamos. Um empreendedor que faz um empréstimo a juros para quitar dois meses de aluguel pagará mais do que aquele que consegue dois meses de carência junto ao locador.

Vivemos uma “guerra” e a sobrevivência humana e dos negócios é o objetivo principal de todos. Ao mesmo tempo, manter a economia viva requer planejamento e cautela de cada um de nós.