A 24ª edição da Feira Nacional da Indústria, Comércio e Serviços (Fenics), aberta ontem em Montes Claros, além de oferecer espaço para grandes empresários, dá oportunidade a organizações sem fins lucrativos, instituições não governamentais e autônomos denominados como terceiro setor. Mais de 20 instituições estarão no estande, mostrando seus negócios. 

O espaço é reservado à Sociedade Civil Organizada (SCO). Os visitantes, além de conhecerem o trabalho de instituições sociais, vão poder participar de painéis interativos e sorteios de prêmios.
 
UNIÃO 
O lema da SCO é a “união faz a força”, ou seja, com a exposição, é possível que algum visitante abrace a causa e queira investir em uma das associações que estarão no evento. 
 
SUSTENTABILIDADE 
“Há muitas instituições e pessoas fazendo ótimos trabalhos em prol do desenvolvimento sustentável de Montes Claros e a favor da vida e da dignidade das pessoas. Porém, se por um lado há instituições bem estruturadas, existem aquelas que não têm a mesma capacidade gerencial”, ponderou Edenilson Durães, integrante da SCO. 

Voz ao pequeno empreendedor
O governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), oferece um espaço de 360 metros quadrados para abrigar 50 pequenos negócios na 24ª Fenics. Em vez de patrocinar o evento, o Idene passou a adquirir o espaço, abrir edital de chamamento público e selecionar pequenos negócios interessados em mostrar e comercializar seus produtos e serviços.

Dos 50 empreendedores que ocupam o espaço do Idene, 18 são da área de artesanato e dez de serviços de energia fotovoltaica. Os demais são de confecções, bijuterias, cachaça e alimentos como café, queijo minas, doces, derivados de milho, cana-de-açúcar e mel, entre outros. 
 
ESTÍMULO 
A iniciativa do Idene faz parte de uma nova diretriz do governo mineiro de estimular a economia dos empreendimentos de todos os segmentos na área de 258 municípios da região. Os setores contemplados na feira de Montes Claros são variados, desde a pequena indústria, o comércio, o artesanato regional até a prestação de serviços diversos, como em energia fotovoltaica.

“Temos o desenvolvimento como foco, por isso, estamos levando ao estande do Idene cinco dezenas de empreendedores que teriam muita dificuldade de estar, individualmente, na Fenics 2019”, explica o diretor-geral do Idene, Nilson Borges.