Pelo menos quatro comunidades rurais de Montes Claros estão sofrendo com a falta de médicos. A cada mês o problema piora mais, pois, além dos médicos, há carência de dentistas e enfermeiros, e, em algumas localidades, como em São João da Vereda, o posto de saúde está de portas fechadas. Segundo os moradores, há cinco meses não tem médico e quem necessita de algum tipo de atendimento precisa se deslocar 40 quilômetros até a cidade. 

São João da Vereda tem cerca de 1.500 habitantes, segundo o IBGE. Grande parte da população é formada por idosos e famílias carentes, que não têm acesso fácil à sede do município de Montes Claros. O posto de saúde do local funcionava com um médico, dentista, enfermeiro e técnicos de enfermagem – os atendimentos com o médico clínico-geral aconteciam três vezes na semana. De acordo com a moradora Estela Pereira, quando o paciente precisa passar por algum médico especialista, ele é encaminhado para as unidades de Montes Claros, onde também falta o profissional em vários postos. 

“Minha mãe tem 76 anos e precisa retornar ao médico para mostrar os exames. Nem adianta ir a Montes Claros, pois chegamos lá e as unidades de saúde estão todas lotadas”, afirma Estela.

Dos 40 quilômetros que separam São João da Vereda de Montes Claros, só cinco dispõem de pavimentação asfáltica – o resto é areião. Sem médico, os moradores não conseguem renovar receitas de medicamentos e quem se sente mal precisa conseguir um carro para ir ao hospital, pois o ônibus só passa uma vez ao dia. 

“Não temos carro próprio, se for algo grave, a pessoa morre antes de ser socorrida, porque a estrada está muito ruim. Quando ligamos para o Samu, temos que esperar mais de duas horas até a chegada”, conta Estela. 

A Secretaria Municipal de Saúde confirma a falta de médicos em Montes Claros e informa que está aberto processo para contratação de novos profissionais. A secretaria afirma que ainda nesta semana encaminhará um médico para a comunidade de São João da Vereda, que já tem enfermeira contratada.