Lançado edital para ponte em São Romão, no Norte de Minas

Obra sobre o rio São Francisco é demanda antiga dos moradores, que usam balsa

Da Redação*
13/05/2022 às 00:39.
Atualizado em 13/05/2022 às 09:41
A empresa escolhida será responsável também pelo projeto de pavimentação do acesso à nova ponte na MG-202 (Seinfra/Divulgação)

A empresa escolhida será responsável também pelo projeto de pavimentação do acesso à nova ponte na MG-202 (Seinfra/Divulgação)

Moradores de São Romão, no Norte de Minas, estão perto de receber a construção de uma ponte sobre o rio São Francisco. A obra é uma antiga demanda da população, que precisa fazer a travessia usando balsas.

O edital de licitação para contratação da empresa que vai elaborar o projeto já está aberto. A empresa escolhida será responsável também por fazer o projeto de engenharia rodoviária para a pavimentação de acesso à nova ponte, em cerca de cinco quilômetros da rodovia MG-202.

A contratação faz parte do Provias, que vai contemplar outras 98 intervenções em rodovias do Estado. Os recursos para as obras, de acordo com o governo de Minas, são oriundos do Termo de Reparação assinado com a Vale em decorrência do rompimento da barragem de Brumadinho, do Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC) firmado entre o governo de Minas e a Fundação Renova.

Além desse recurso, serão aplicadas verbas de convênios e emendas parlamentares estaduais e federais, parcerias com empresas e convênios com prefeituras.

Irrigação mais eficiente
Vinte e quatro produtores rurais de banana de Jaíba integram um projeto de teste para uma nova forma de irrigação de baixo custo. Conduzido pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), a iniciativa busca avaliar condições de irrigação ideais e economicamente viáveis, que possam ser adotadas por bananicultores no Perímetro Irrigado do Jaíba, em Mocambinho. O principal objetivo é estabelecer indicativos para a lâmina e tempo ótimos de irrigação.

As avaliações consideram o ciclo fenológico da cultura da bananeira e a implantação de um sensor de baixo custo para realização do manejo e detecção da necessidade de irrigação. 

“A cápsula porosa é instalada no solo na profundidade do sistema radicular e entra em equilíbrio hídrico com o solo, em poucas horas. No momento da medição do estado da água, se o solo estiver úmido, a passagem de ar pela cápsula porosa é bloqueada. Isto é, a água não entra na cuba porque o ar não sai do sistema, o que significa que o solo permanece suficientemente úmido. Por outro lado, quando o solo seca e a umidade diminui abaixo de um valor crítico, a cápsula porosa torna-se permeável à passagem do ar e o menisco ar-água se movimenta para igualar com o nível da água no frasco. Quando isto ocorre, o solo deve ser irrigado”, explica o pesquisador da Epamig João Batista Reis, coordenador do trabalho.

A ideia é adaptar os resultados para outras culturas, principalmente as frutícolas que também são cultivadas na região. “As próximas ações estão relacionadas às instalações dos sensores nas áreas selecionadas (que já começaram) e ao início do acompanhamento do monitoramento meteorológico que servirá de resultado comparativo ao monitoramento do sensor”, informa João Batista. 

*Com Agência Minas

Compartilhar
Logotipo O NorteLogotipo O Norte
E-MAIL:jornalismo@onorte.net
ENDEREÇO:Rua Justino CâmaraCentro - Montes Claros - MGCEP: 39400-010
O Norte© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por