Por todos os lados já se encontra o pequi. O fruto típico do Cerrado e nativo do Norte de Minas tem animado os feirantes e incrementado a mesa dos norte-mineiros. Com sabor mais adocicado e fruto mais consistente, a safra vinda da zona rural de Montes Claros e de cidades vizinhas, como Jequitaí, Japonvar e Francisco Dumont, já pode ser encontrada nos mercados, feiras e esquinas da cidade.

A safra que vem de Goiás chegou no Norte de Minas no mês de outubro, porém com frutos pequenos e sem muita consistência.

Para o feirante Charles Moisés, que trabalha com a venda do fruto todos os anos, a safra chegou no tempo certo e promete ser longa. “Muitos pés ainda estão florando e outros já começaram a cair. Tudo veio no tempo certo e mesmo o pouco volume de chuvas não afetou a produção deste ano. Esperamos pequis bem maiores e mais consistentes e temos a certeza disso por causa da qualidade do começo da safra”, disse. 

“Ainda estamos vivendo uma pandemia e o pequi veio para dar um reforço extra aos feirantes e produtores da zona rural. É uma fonte complementar de renda para todos nós. Além de ajudar bastante o comércio da cidade, a procura pelo fruto faz também com que as pessoas acabem comprando outras coisas, e até mesmo algumas frutas da época como a jabuticaba, coquinho azedo e outras. Logo também é o nosso pequi que estará indo para Goiás. Realmente é um período de grande alegria para todos nós, especialmente neste final de ano”, ressalta Charles.
 
DE MOC PARA BAHIA
A empresária Lenise Diniz festeja a chegada do fruto. “Compramos o pequi e congelamos para levar para Porto Seguro, na Bahia, onde comandamos um restaurante. Um dos pratos que servimos é o tradicional arroz com pequi e a carne de sol. A procura é muito boa, o mineiro se sente em casa saboreando esse prato típico do Norte de Minas na Bahia e ainda o apresentamos a outros turistas”, conta.

O pequi está sendo vendido a partir de R$ 5 a dúzia, podendo chegar até o valor de R$ 15. Além do Mercado Central, é possível encontrar o fruto nas esquinas da cidade com feirantes ambulantes, pequenos supermercados e feiras.


Risoto de bacalhau com caldo de pequi
Ingredientes

4 xícaras de café cheias de arroz arbóreo
1 cebola média
1 taça de vinho branco seco
2 colheres bem cheias de manteiga sem sal + 1 para finalizar
1 litro de pequi fresco refogado em azeite, cebola, alho e sal e adicionado 2 litros de água para cozimento
2 xícaras de chá de lascas de bacalhau
sal e pimenta do reino moída à gosto
Preparo
Etapa 1
O primeiro passo é preparar o pequi para ter o caldo pronto, porque é somente o caldo que vai usar. Numa panela maior coloque a manteiga e a cebola picadinha e deixe cozinhar um pouquinho. Adicione as lascas de bacalhau e deixe cozinhar um pouco. Depois de cozidas, acrescente o arroz arbóreo e misture bem. Adicione a taça de vinho e deixe o álcool evaporar. Assim que o álcool for absorvido pelo arroz, comece a acrescentar as primeiras conchas do caldo de pequi.
 
Etapa 2
Adicione aos poucos colheradas do caldo de pequi e vá mexendo. Adicione, mexa sem parar, deixe o caldo secar e adicione mais, este processo é constante até o grão do arroz começar a ficar cozido e ao dente. Não pare de mexer, não se esqueça de esfregar o fundo da panela com a colher deixando o fundo bem limpo para que o arroz não grude. Mexa sempre para não deixar o risoto secar e vá experimentando, observando sempre a textura do arroz e continue acrescentando mais caldo.
 
Etapa 3
Depois de várias conchas de caldo, o arroz já deve estar quase no ponto. Acerte o sal se for necessário. Desligue o fogo e pronto, coloque a última colher de manteiga, que deve estar gelada, no centro da panela e mexa pelas laterais até a manteiga derreter, isso servirá para dar brilho ao risoto. Salpique pimenta do reino moída na hora e se quiser, sirva com o pequi.

Rendimento 4 pessoas
A receita foi tirada do site Cozinha Travessa e lá há diversas receitas com pequi
http://cozinhatravessa.com.br/