Tá difícil até de respirar. Essa tem sido a frase mais ouvida nos últimos dias por causa da forte onda de calor que atinge Minas Gerais. E se em todo o Estado tem sido sufocante, em Montes Claros é isso e um pouco mais. Os termômetros têm ficado na casa dos 36 graus, com possibilidade de atingir até 38 graus. E enquanto a temperatura fica nas alturas, a umidade do ar despenca.

Nesta sexta-feira, a cidade chegou a registrar 14% de umidade relativa do ar, índice considerado de deserto e que exige cuidados redobrados com hidratação, principalmente de crianças e idosos. Cada um se vira como pode para tentar amenizar a quentura: anda de sombrinha pelas ruas, pula de sombra em sombra das árvores ou marquises, tira a camisa, apela para chapéu, boné. E ligar ventiladores e ar-condicionado, que ajudaria a refrescar o lar ou o ambiente do trabalho traz outro problema, que também esquenta a cabeça: o peso da conta de luz.

E o calorão não vai dar trégua. A previsão para os próximos dias é de temperatura acima dos 30 graus, com céu aberto, sem previsão de chuva. A umidade relativa do ar deve variar entre 11% e 54%, de acordo com o Climatempo.

“Com o fim do inverno e começo da primavera, as temperaturas tendem a aumentar mesmo. E a tendência é de se manter por volta dos 36 a 38 graus. Isto é de extrema importância, pois só chove se as temperaturas estiverem altas. Por isso, as próximas semanas serão de calor extremo e as pessoas precisam ficar atentas quanto à hidratação e evitar atividades ao ar livre nas horas mais quentes do dia” explica Renan Lauton, professor de Engenharia da Unimontes.
 
VENDAS AQUECIDAS
E se para alguns o calor é sinal de desconforto e até irritabilidade, para outros é a oportunidade de fazer um dinheiro a mais. Vendedores de água, picolés, água de coco e ventiladores não têm do que reclamar.

“Graças a Deus a chegada do calor deu uma excelente melhorada nas vendas. As pessoas têm comprado muita água de coco e água mineral nos últimos dias. Parece que o calor veio mais forte do que antes e realmente está bem quente e de um modo estranho”, diz Cíntia Patrícia, de 29 anos, ambulante que atua em frente à Praça da Catedral.

Para turbinar ainda mais o negócio, Cíntia apostou na venda de salada de frutas. “É refrescante e saudável. Tenho vendido muito bem nos últimos dois dias”, comemora. Muito bem localizada, no coração de Montes Claros, a banca da vendedora recebe pessoas que passam pelo local a todo momento. “E vão comprando, para aliviar o calor. Espero que melhore cada vez mais”. 

Nas lojas de eletrodomésticos, ventiladores, umidificadores e condicionadores de ar já ganharam destaque na porta dos estabelecimentos. É a hora de atrair o consumidor.