“É fundamental mantermos, neste momento de crescimento dos casos de Covid-19 no Estado, o isolamento social. É a única forma de reduzirmos o aumento dos casos, preservarmos a saúde das pessoas e termos condições de adaptar a rede da saúde para atender aos casos novos que vão aparecer. Sabemos da dificuldade de ficar isolados, de mantermos a restrição de circulação, mas é um consenso mundial que é importante para preservar vidas”, alertou ontem o secretário de Estado da Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral Pereira, em entrevista coletiva virtual concedida à imprensa.

São várias as orientações e até determinações para que as pessoas que não precisam sair, fiquem em casa. Em Montes Claros, a rotina da cidade está bem diferente nos últimos dias - lojas fechadas e menos gente nas ruas. No entanto, há aqueles que insistem em descumprir essas indicações, oferecendo risco para si mesmo e para os outros.

Apesar de estarem no grupo de risco e serem o principal alvo de pedidos para cumprir o isolamento, os idosos não querem ficar reclusos. Pelas ruas da cidade, eles podem ser vistos nas praças, nos pontos de ônibus, em lotéricas. No supermercado tinha até idoso relcmando das medidas adotadas pelo município com a quarentena. Apesar de não estarem entre a maioria dos casos em Minas, são os mais suscetíveis à Covid-19 com um quadro mais grave.

O Estado soma 133 casos confirmados de coronavírus. O número de notifiações suspeitas saltou dos 11.832, contabilizados até terça-feira (24), para 14.227 ontem, segundo a Secretaria de Estado de Saúde. Isso significa um aumento de 20% de notificações em menos de 24 horas. Até o momento, não há nenhuma morte confirmada oficialmente no Estado.

A maior parte da contaminação da doença ocorre entre pessoas de 20 a 59 anos (111) e, até o momento, nenhum idoso com mais de 80 anos foi infectado em Minas. Já entre a população de 60 a 79 anos, são 20 confirmações. A faixa etária de 1 a 19 anos não tem registro confirmado da Covid-19, no entanto, um bebê de menos de 1 ano testou positivo para a doença. 

Em Montes Claros já são 167 notificações suspeitas, com 42 já descartados. Quatro pacientes estão internados em estado estável. O número de casos em investigação vem dobrando de um dia para o ourtro. E a estimativa é a de que cresçam ainda mais quando chegarem os testes.

Por isso, a orientação de se guardar o isolamento, muito pedido também por profissionais da saúde que estão na linha de frente no atendimento aos pacientes contaminados. Eles estão muito mais expostos e, por isso, pedem que, quem puder, fique em casa, pela segurança de todos (veja matéria na página 5).

*Com Luisana Gontijo