A primeira quinzena de janeiro deve registrar um quadro de contaminação pelo novo coronavírus ainda mais crítico em Minas Gerais, reflexo das festas de fim de ano.

Nas últimas semanas, a taxa de ocupação na terapia intensiva chegou a 70% em sete regiões. Nesta terça-feira (5), a Secretaria de Estado de Saúde (SES) voltou a fazer um apelo à população para que mantenha as medidas de prevenção ao novo coronavírus.

Em Montes Claros, a taxa de ocupação em leitos clínicos do SUS subiu sete pontos percentuais em apenas um dia. Estava em 78% na segunda-feira e atingiu 85% ontem.

Aumento também foi registrado na ocupação de leitos clínicos da rede privada de saúde – de 30% para 40% de segunda para terça. Apenas os leitos de UTI públicos tiveram uma retração no período – de 71% para 67%.

A maior cidade do Norte de Minas já passou de 14.600 casos confirmados e 226 mortes.

“Infelizmente, no final do ano, nós vimos muita gente sem máscara. A gente viu relaxamento nos cuidados no que se refere à higiene e, infelizmente, uma série de reuniões e festas. É motivo de situação que acabou por gerar reflexo nas semanas epidemiológicas e exige de cada mineiro uma atenção muito maior”, destacou o secretário-adjunto da SES, Marcelo Cabral.

Segundo ele, o resultado das aglomerações e das festas realizadas em dezembro, sem os devidos cuidados, será verificado em até 14 dias após os eventos. Esse é o período de incubação do novo coronavírus e a manifestação dos sintomas. 
 
NÚMEROS EM MINAS
Até o momento, 556.692 pessoas testaram positivo para Covid-19 no Estado, conforme boletim epidemiológico divulgado nesta terça pela Secretaria de Saúde. Foram 4.588 casos confirmados nas últimas 24 horas.

No total, 12.083 mineiros perderam a vida para o novo coronavírus nesta pandemia – 20 óbitos a mais em relação ao último balanço, anunciado no dia anterior.
 
NOVA VARIANTE
Depois da confirmação de dois casos da nova variante do coronavírus em São Paulo, Minas Gerais está atenta a relatos por aqui. A informação foi dada pelo secretário-adjunto de Saúde do Estado, Marcelo Cabral. Ainda não há notificações suspeitas no território.

Segundo o gestor, a situação é acompanhada pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs-MG). “Os profissionais da sala de situação se mantêm em contato, inclusive, com referências de outras localidades preparados para o caso de, ocorrendo isso em Minas, possam ter respostas a contento”, informou Cabral.

 

Distribuição de seringas começa nesta semana
A Secretaria de Estado de Saúde (SES) vai começar a distribuir, durante esta semana, cerca de 19 milhões de seringas a serem usadas na vacinação contra a Covid-19 em Minas Gerais. A entrega aos municípios será feita via as regionais de saúde.

A informação foi dada na tarde desta terça-feira (5) pelo secretário-adjunto da pasta, Marcelo Cabral, durante entrevista coletiva na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. 

Segundo ele, o plano de contingência que visa a imunização no território foi iniciado em setembro.

Até o momento, ainda de acordo com Cabral, foram adquiridas 50 milhões de seringas. Foram entregues, pelos fornecedores, cerca de 19 milhões.
 
Coordenação nacional
A previsão é a de que o Estado siga o Plano Nacional de Vacinação, coordenado pelo governo federal. De acordo com o Ministério da Saúde, no país, quase 25 milhões de doses de vacinas devem ser disponibilizadas ainda em janeiro. 

No fim do ano, o titular da pasta, Eduardo Pazuello, disse que alguns grupos prioritários podem começar a receber a vacina até o fim deste mês. A vacinação em massa está prevista para fevereiro. O cronograma, porém, pode sofrer alterações.

*Com Agência Brasil