Alexsandro Mesquita


Correspondente



GLAUCILÂNDIA - Maria Elza Pereira Silva mora no município de Glaucilândia desde os quatro anos de idade. E hoje procura por familiares que moram em Jaíba. Ela conta que a família é constituída de 13 irmãos. Quatro mulheres e nove homens. A mãe ficou viúva e foi morar com outro homem, chamado Joel.



- Sei que morava na Jaíba, mas nasci em Agreste (São João da Ponte). Aqui, somos três irmãs, eu, Marly e Marlene, as duas últimas gêmeas. Fomos trazidas por tia Ivanilde para morar com ela. A última notícia que tive foi em 1989, quando conheci um irmão, cujo nome era Edilson, apelidado de Tinha, mas perdemos contato - diz Maria Elza.



null


Informação de 1988 dava conta de que mãe de Elza já estaria morta



ONDE ESTÁ EVA?



Em 1988 teve notícia de que a mãe havia morrido. Só foi informada depois de 15 dias. Outro dado importante é que ela se lembra que a irmã mais velha se chamava Eva. E, quando teve contato com o irmão Edilson, este lhe disse que conhecia uma tia por parte de mãe, de nome Terezinha e, que também o irmão caçula é portador de necessidades especiais.



- Me lembro que minha mãe me chamava de Nenén e os irmãos de Cabelo de fogo, por causa da cor dele na época. Já escrevi até para a rádio de Jaíba, mas nunca tive notícias - diz Maria.



Os pais de Maria Elza são falecidos. O pai, Tiago Costa Guedes, ela mal conheceu. E a mãe, Doralice Pereira Silva, morreu depois de aproximadamente oito anos em que se encontrava em Montes Claros, onde morou até os 19 anos, quando se casou e foi morar em Glaucilândia. O registro de nascimento, datado em 29 de outubro de 1980, é da comarca de Montes Claros e nele constam apenas os nomes dos avós maternos, Domingos Pereira da Silva e Eduarda Alves Barbosa.



Atualmente, Maria Elza Pereira Silva, conhecida por Marisa, é integrante do Conselho tutelar deste município.



Foto: Alexsandro Mesquita