Os incêndios florestais já consumiram mais áreas em Minas Gerais neste ano do que a média histórica para o período de janeiro a julho. Dados do Instituto Estadual de Florestas (IEF) mostram que mais de 1.167 hectares das unidades de conservação (UC) do Estado já foram atingidos pelo fogo até 12 de julho, contra 1.120,42 hectares da média histórica de janeiro a julho de 2013 a 2020.

A área afetada é 4,2% superior, e ainda estamos na metade do mês. Para tentar frear o avanço das queimadas, que tem como período de pico os meses de agosto e setembro, o governo de Minas anunciou, na terça-feira, o Plano de Resposta para atendimento a incêndios florestais para este ano.

Ao todo, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e o IEF vão investir cerca de R$ 40 milhões nas ações de prevenção e combate aos incêndios em 2021.

O recurso se soma ao investimento dos demais órgãos parceiros da Força-Tarefa Previncêndio, grupo composto por órgãos estaduais e federais para atendimento a ocorrências de incêndio.

Segundo a secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo, o monitoramento climático realizado pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) registrou, no último período chuvoso (outubro de 2020 a março de 2021), um índice de precipitação abaixo da média em quase todo o território mineiro.

“Isso significa um desafio ainda maior na prevenção e combate a incêndios florestais ao longo deste ano, pois a vegetação estará mais seca, o que demanda ações ainda mais efetivas do Estado para contenção dos focos de incêndios identificados”, afirmou.
 
NOVAS UNIDADES
Entre as medidas adotadas pelo governo está a implantação de dez novas Unidades Operacionais (UOp) em unidades de conservação em bases do Previncêndio distribuídas por Minas Gerais. “As bases são pontos estratégicos que permitem o atendimento rápido às ocorrências registradas nas unidades de conservação sob a gestão do IEF, nas ações conjuntas com os demais órgãos do Previncêndio”, ressalta o diretor-geral do IEF, Antônio Malard.
*Com Agência Minas


Mais equipamentos e novos brigadistas
O plano inclui ainda a aquisição de equipamentos e contratação de brigadistas. As brigadas contratadas neste ano, compostas por 115 profissionais, já iniciaram os trabalhos de combate e prevenção aos incêndios nas unidades de conservação e entorno. 

Outros 252 combatentes estão sendo contratados, com previsão de início das atividades em agosto, com o objetivo de garantir reforço às equipes que vão atuar no período crítico.

Nas ações de prevenção e combate, o IEF conta ainda com cerca de 260 servidores lotados nas unidades de conservação estaduais e, também, com o apoio do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, polícias Militar e Civil, brigadas voluntárias, Instituto Chico Mendes de Conservação à Biodiversidade (ICMBio) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que, junto à Semad, integram a Força-Tarefa Previncêndio de Minas Gerais.

Para o apoio no combate aos incêndios em solo, o IEF também reforçou a frota das unidades de conservação com veículos novos, por meio da aquisição de 111 caminhonetes 4x4, que se somam à estrutura já existente.

Já para o combate aéreo foi feita a contratação de oito aviões Air Tractor, em parceria com o Corpo de Bombeiros, além da manutenção do convênio entre o IEF e a PMMG, que prevê o compartilhamento de aeronaves, com o uso de oito helicópteros e quatro aviões para atividades de monitoramento e transporte de pessoal.