Mais de 75 destinos de Minas Gerais poderão ser visitados com viagens gratuitas de ônibus no período de 8 a 22 de setembro deste ano. A proposta é da plataforma de mobilidade Buser – o “Uber dos ônibus” –, lançada nesta segunda-feira (30) e exclusiva para novos clientes.

A ofensiva da empresa ocorre em meio às discussões no Legislativo mineiro sobre a aprovação de projeto de lei que busca a coexistência dos transportes por fretamento, como o da Buser, e regulares, operados por agências de turismo, por exemplo.

De acordo com a Buser, a promoção é válida para viagens dentro de Minas, a partir de 8 de setembro, e “sem limite de embarques por passageiro”. Ao todo, são mais de 75 destinos, como Itabira, na região Central, e Montes Claros, no Norte de Minas, somando 256 trechos. 

“A ideia é que mais mineiros conheçam o nosso jeito de viajar e assim apoiem a inovação junto com a gente, pois ela é o único caminho para a democratização do transporte rodoviário”, afirma Marcelo Abritta, cofundador e CEO da Buser.

PROMOÇÃO 
Conforme a empresa, já é possível buscar a promoção pelo site ou aplicativo da Buser. “A promoção vale para todos os usuários que se cadastrarem na plataforma e buscarem rotas entre cidades mineiras operadas por parceiros da startup dentro do modelo de fretamento colaborativo”, informa a Buser, em nota.

Nessa modalidade, ainda segundo a plataforma, os passageiros dividem a conta final do frete, resultando em viagens, em média, 60% mais baratas do que aquelas feitas por empresas de ônibus convencionais.

“Não há limite de viagens por CPF e o volume de viagens agendadas depende da disponibilidade dos parceiros”, completa.
 
PROJETO DE LEI
O Projeto de Lei (PL) 1.155/15, de autoria do deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT), dispõe sobre a legalidade da prestação de serviço fretado de transporte rodoviário intermunicipal e metropolitano de pessoas. A proposta foi aprovada em 1º turno na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

De acordo com a Casa, o texto aceito define as regras para concessão de autorização de fretamento pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG) e caracteriza os limites e as obrigações desse serviço.

“Além disso, atualiza as penalidades para o descumprimento dos dispositivos nela contidos e apresenta diretrizes visando à eficiência dos processos e ao incentivo do empreendedorismo em Minas Gerais relacionados ao setor de fretamento, segundo o parecer”, informou a ALMG, em nota.

Em nota, a Buser declarou que o serviço por ela oferecido enfrenta “pressão política na ALMG, onde um projeto de lei pode inviabilizar as operações de fretadores”. Apesar disso, a empresa afirmou que “segue operando e apostando no Estado, praça onde tem mais de um milhão de usuários cadastrados”.

A Buser foi fundada em 2017, em Minas Gerais. A empresa, considerada a maior do ramo no Brasil, atua com mais de 400 parceiros (entre fretadores e viações maiores) e utiliza aproximadamente 1.200 ônibus. São mais de 4 milhões de pessoas cadastradas na plataforma digital.