Paulo Brandão


Correspondente



BOCAIÚVA - Famílias de baixa renda de Bocaiúva serão contempladas com moradias populares. Trata-se de um investimento de mais de R$ 6 milhões, nos próximos meses, o que significará a redução drástica do déficit habitacional na cidade. Desse montante, R$ 4 milhões foram garantidos com a assinatura de convênio entre a prefeitura de Boc e a Caixa Econômica Federal, em Belo Horizonte. O convênio prevê a liberação de financiamento para cerca de 450 famílias construírem suas casas, no loteamento Beija Flor II, onde a prefeitura já distribuiu lotes de terreno.



Cada família que recebeu a doação na localidade poderá pleitear o empréstimo, de aproximadamente R$ 9 mil, sendo que, desse total, o governo federal e o município pleitearão quase R$ 7 mil. Caberá aos mutuários o pagamento de apenas R$ 2 mil, com prestações mensais que vão girar em torno de trinta reais.



FAMÍLIAS CARENTES



Para o prefeito Alberto Caldeira, essa etapa vai concretizar definitivamente o sonho do acesso à moradia de centenas de famílias carentes. A Caixa promete desburocratizar o trâmite para o contrato de financiamento e famílias com renda de aproximadamente um salário mínimo poderão ter acesso a ele. As pessoas que têm terreno no Beija Flor II podem procurar a prefeitura a partir da próxima semana para informações detalhadas e preenchimento de inscrição. A expectativa é de que, já em setembro, o financiamento esteja sendo liberado.



Além a conquista do imóvel próprio para centenas de famílias, a notícia soou bem aos ouvidos dos comerciantes do ramo de construção civil, que prevêem aquecimento considerável das vendas.



COHAB



Em outro projeto habitacional, foi iniciada na semana passada a construção de  novas moradias na cidade. A prefeitura municipal e o governo de Minas, através da Companhia habitacional do estado- Cohab- firmaram acordo para a construção do conjunto habitacional Romeu Barcellos Costa, no bairro Morada Nova.



Os serviços de infra-estrutura urbana, como pavimentação de ruas, implantação de sistema de abastecimento de água, esgotamento sanitário e rede elétrica, são de responsabilidade da prefeitura de Boc, que já os iniciou. O desenvolvimento do projeto arquitetônico e a construção das unidades cabem à Cohab-MG. A empresa vencedora da concorrência garante que parte considerável da mão-de-obra a ser empregada nas construções será de Boc.