Brinquedos e jogos de madeira produzidos dentro das marcenarias instaladas no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, e na Penitenciária José Edson Cavalieri, em Juiz de Fora, chegaram às mãos de crianças de três cidades do Norte de Minas – São João das Missões, Bonito de Minas e Juvenília.

As peças foram entregues no último fim de semana por cerca de 150 voluntários da Organização Não Governamental (ONG) Amigos de Minas, junto com 25 mil quilos de alimentos e 850 quilos de roupas arrecadados pela instituição. Todos os brinquedos foram produzidos por presos, desde o corte da madeira até polia e pintura.

Durante a entrega, feita pelos voluntários da ONG, os irmãos Elenilson e Ariel, de 8 e 11 anos respectivamente, escolheram carrinhos de madeira e já saíram brincando pelo quintal da casa, na Comunidade Catinguinha, situada dentro da Reserva Indígena Xakriabá, em São João das Missões. O município tem o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Minas, por isso foi um dos escolhidos pela ONG Amigos de Minas para receber as doações.

A superintendente de Humanização do Atendimento, Louise Bernardes França, do Departamento Penitenciário de Minas (Depen-MG), considera a doação dos brinquedos de altíssima relevância para os presos e a sociedade. “Para os presos, significa incentivo para continuidade da contribuição social, por meio do trabalho. Já para a sociedade, demonstração dos frutos positivos alcançados pela ressocialização dos recuperandos”, destaca a superintendente.

O projeto é uma iniciativa do Depen MG, da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), viabilizado pela Diretoria de Trabalho e Produção.

VOLUNTÁRIOS
Tamyres Cristina Oliveira, de 25 anos, é uma das voluntárias que percorreu mais de uma hora em estrada de terra, na carroceria de um caminhão, para fazer as doações em São João das Missões.

Ela atua com o grupo há mais de três anos, já participou de dez entregas e, desta vez, ainda levou o pai e a mãe. “Os brinquedos são muito bem feitos e ainda trazem um grande valor agregado. As crianças adoraram, especialmente por serem de madeira e coloridos” destaca.
*Com Agência Minas

SAIBA MAIS
Projeto em expansão

A maior parte dos brinquedos doados no Norte de Minas foi confeccionada com madeira ilegal, apreendida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). O projeto Fábrica da Alegria começou na Penitenciária José Edson Cavalieri, por iniciativa do Tribunal de Justiça, e em seguida foi implantado no Complexo Penitenciário Nelson Hungria.

As peças criadas e fabricadas pelos presos já estão na brinquedoteca do Hospital da Baleia, na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente e na Delegacia de Plantão Especializada em Atendimento à Mulher. Duas outras unidades prisionais passaram a integrar, recentemente, o projeto: as penitenciárias de Três Corações, no Sul de Minas, e a Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba, com a produção de peças em suas oficinas.