O smartphone tornou-se equipamento indispensável no uso cotidiano. Hoje, fazemos tudo pelo celular. Há até profissionais que já aposentaram desktops e notebooks e produzem tudo nos telefones.

No entanto, os aparelhos vêm encarecendo a cada renovação de linha, o que torna muitas opções proibitivas. Mas, há opções que figuram no segmento intermediário que oferecem bom desempenho. Um deles é o Xiaomi Redmi Note 10S. 
Com preço médio de R$ 1.700, o aparelho surge como uma boa opção para quem busca performance, mas não pode pagar verdadeiras fortunas num modelo topo de linha.
 
HARDWARE
Com tela de 6,4 polegadas, esse telefone tem dimensões próximas de um Samsung Galaxy S21 Ultra (6,8 polegadas). Área de tela que garante muito conforto visual e a resolução de 2400x1080 pixels, que permite assistir a filmes com alta qualidade de imagem, assim como rodar aplicativos de edição e fotografia. 

A sensibilidade da tela AMOLED também chama atenção pela boa precisão. É fácil manipular itens diminutos no visor.

O hardware que tem processador de oito núcleos, 6GB de RAM, unidade gráfica Mali-G76 MC4 e 128GB de armazenamento interno, expansão de até 512GB, com cartão Micro SDXC, oferece boa desenvoltura ao aparelho. Na prática, dá ao telefone poder de fogo para rodar games e rodar aplicativos pesados. A bateria de 5000 mAh garante boa autonomia.
 
SISTEMA OPERACIONAL
Um dos destaques é o sistema operacional MIUI 12.5, que tem como base o Android 11. Esse OS foi desenhado para os telefones da marca. Ele utiliza a plataforma do Google, mas com ajustes de funcionalidades e interface. 

A navegabilidade é muito intuitiva e menos confusa que em outros aparelhos que utilizam Android. Quem porventura migrar de um iPhone para o Xiaomi não ficará tão perdido pelos excessos de caminhos que existem no sistema do robozinho.
 
CÂMERA
As funcionalidades de imagem são requisitos valorizados pelo consumidor. Afinal, hoje tudo é filmado, fotografado e compartilhado. O Redmi Note 10S conta com quatro câmeras traseiras sendo uma de 64 Mp, outra de 8 Mp e duas de 2 Mp.

Esse conjunto permite combinar grande angular e zoom digital de 10x. As lentes ainda permitem fazer fotos com desfoque combinado, em que uma das lentes borra o fundo e outra faz a imagem focada. O resultado final está longe de ser o melhor, mas é uma opção para quem busca desfocar as bordas da fotografia.

A gravação de vídeos capta imagens com qualidade 4K com 30 fps. Não chega a ser tão potente quanto os 60 quadros em Ultra HD do Galaxy S20 Ultra, mas, mesmo assim, oferece boa qualidade. Já a câmera frontal oferece 13 Mp que garante boa resolução para videoconferência e selfie.
 
PALAVRA FINAL
O Redmi Note 10S está longe de ser um iPhone 12 ou Galaxy S21. Mas trata-se de um aparelho acessível, que figura abaixo dos R$ 2 mil e concorre com modelos com especificações de bateria e memória RAM muitas vezes inferiores. Se não der para “pular” para aquele topo de linha da moda, esse Xiaomi resolve muito bem.