Com o contrato da sua terceira passagem pelo Atlético vencendo no final deste mês, o atacante Diego Tardelli, que participou de apenas dois jogos oficiais pelo clube na temporada 2020, vive tempos de indefinição. E nesta espécie de vestibular que enfrenta nas rodadas finais do Brasileirão, ter o Fluminense pela frente pode ser uma boa, pois ele é, ao lado do ex-centroavante Gérson, o maior artilheiro atleticano no confronto com o tricolor carioca. Cada um marcou quatro gols.

A utilização de Tardelli pelo técnico Jorge Sampaoli nesta quarta-feira, às 21h30, no Maracanã, pela 35ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro, é incerta.

O camisa 9 jogou com o treinador pela primeira vez na última quarta-feira, quando entrou em campo no segundo tempo na derrota de 1 a 0 para o Goiás, na Serrinha, em Goiânia.

Em 15 de julho do ano passado, num jogo-treino contra o América, na Cidade do Galo, pouco antes da volta do futebol após quase quatro meses de paralisação por causa da pandemia, ele sofreu uma grave lesão, passou por cirurgia e foram mais de seis meses sem disputar um jogo.

CONCORRÊNCIA
No período sem poder jogar, chegaram à Cidade do Galo, exatamente para a posição que é a mais adequada para Tardelli neste momento, dois reforços pedidos por Jorge Samapoli.

O primeiro a desembarcar foi Eduardo Sasha. Depois, chegou o chileno Eduardo Vargas.

O cenário de incerteza em relação ao treinador argentino é mais um ingrediente da história vivida por Diego Tardelli.

Sampaoli interessa ao Olympique de Marselha, da França, e pode deixar o Atlético. Pelas demonstrações do argentino em relação o ídolo atleticano, isso pode até facilitar sua permanência no clube.

De toda forma, o que pode ser decisivo para isso é o desempenho nas quatro rodadas finais do Campeonato Brasileiro.

Além do Fluminense, o Atlético ainda encara o Bahia, no Mineirão; o Sport, na Ilha do Retiro; o Palmeiras, no Gigante da Pampulha.
 
HISTÓRICO
Nas duas passagens anteriores pela Cidade do Galo, Diego Tardelli sempre marcou gols sobre o Fluminense, e em confrontos pelo Brasileirão.

Em 2009, ano em que foi o artilheiro da Série A, ao lado de Adriano, do Flamengo, com 19 gols, cada, ele marcou sobre o Fluminense no turno e returno.

Na edição de 2013, ele fez um dos gols no empate por 2 a 2, no Maracanã. No ano seguinte, balançou a rede tricolor mais uma vez, numa vitória alvinegra por 2 a 0, no Ipatingão.

Com este histórico, o reencontro com o Fluminense pode ajudar a definir o futuro de Tardelli.