Os últimos episódios de invasão do setor cruzeirense pela torcida do Atlético no Mineirão vão gerar uma mudança no laudo de segurança anual que é feito pela Polícia Militar de Minas Gerais (PM) sobre o estádio, como determina o Estatuto do Torcedor. E o novo documento deve diminuir a carga de ingressos de visitante, que atualmente é de 10%.

“O laudo é feito anualmente. As ocorrências que vão acontecendo nos ajudam a entender os riscos. Neste ano tivemos duas invasões da torcida do Atlético a setores destinados ao Cruzeiro. A mudança por parte da PM em relação ao espaço visitante deve acontecer. Vamos promover um estudo, mas a mudança é quase certa”, afirma o tenente-coronel Trant, que é o responsável pela segurança em dias de jogos no Gigante da Pampulha.

O assunto de carga para a torcida visitante nos estádios é definido pelo Regulamento Geral de Competições (RGC) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). E o documento diz o seguinte no artigo 86: “O clube visitante terá o direito de adquirir, com pagamento prévio, a quantidade máxima de ingressos correspondente a 10% (dez por cento) da capacidade do estádio ou da capacidade permitida pelos órgãos de segurança, desde que se manifeste em até 3 (três) dias úteis antes da realização da partida através de ofício dirigido ao Clube mandante, obrigatoriamente com cópia às Federações envolvidas e à DCO”.

Até o laudo para 2019, a PM entendia que o Mineirão poderia receber 10% de torcedores visitantes. Os episódios dos dois últimos clássicos deste ano mudaram a opinião da corporação. “Nas duas invasões deste ano, a ação rápida da PM impediu coisa pior. É muito perigoso enfrentamento de torcidas dentro do estádio e precisamos diminuir a chance disso acontecer”.

PRÁTICA
A diminuição do espaço visitante do Mineirão pela PM provocaria a impossibilidade de utilização dos setores laranja inferior e superior, que custaram R$ 30 e R$ 50, respectivamente, no clássico do último domingo. Seriam disponibilizados para os visitantes apenas o roxo superior, que foi vendido a R$ 100.

Além disso, a parte de Mineirão Tribuna, que pertence à Minas Arena, e sempre teve uma carga destinada a visitantes, também não poderia mais receber esses torcedores, ficando exclusiva a cruzeirenses. No último domingo, ele teve o preço de R$ 60.

A retirada do setor laranja e do roxo inferior da torcida visitante representa uma diminuição de quase 2,5 mil torcedores. Assim, a carga passaria a ser inferior a três mil bilhetes. E todos eles no local mais caro do estádio.
 
TORCIDA ÚNICA
Outra possibilidade que existe é a de clássicos entre Atlético e Cruzeiro com torcida única. Isso foi destacado na entrevista coletiva do tenente-coronel Trant na noite do último domingo (10), no Mineirão, quando ele fez um balanço dos problemas relacionados ao jogo.

O major Flávio Santiago, porta-voz da PM, garante que o esquema de 90% x 10% é o pior para a operação de segurança: “Já nos posicionamos algumas vezes de que para nós (PM) é melhor o equilíbrio de torcidas. É mais fácil operar metade/metade do que com uma torcida maior que a outra”.