A falta de motivação do time do Cruzeiro na Série B do Campeonato Brasileiro, algo que precisava ser percebido e combatido pela diretoria de futebol, ficou mais uma vez evidente na derrota de 2 a 1 para o Sampaio Corrêa, na última quinta-feira, no Mineirão, resultado que colocou o time na 18ª colocação.

Nem o gol “achado” de Manoel, que empatou o confronto no final do primeiro tempo, serviu como combustível para o time de Ney Franco ter uma postura diferente na etapa final. Seguiu previsível, sem conseguir, até mesmo sufocar, mesmo que de forma desordenada, a equipe maranhense. Vencer era fundamental para a Raposa sair da zona de rebaixamento. Acabou foi caindo mais uma posição no Z-4.

Com isso, neste sábado, se o Guarani não perder para o CRB, em partida que será disputada às 16h30, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, a Raposa entrará em campo neste domingo, às 16h, na Arena Barueri, na Grande São Paulo, para encarar o lanterna Oeste, ocupando justamente a vice-lanterna.

São vários os erros cometidos no processo do futebol cruzeirense, mas o maior deles é a falta de entrega do time. E a inércia do comando do futebol em combater a apatia.
 
RETROCESSO
A punição imposta pela Fifa fez o Cruzeiro começar a Série B com seis pontos a menos, logicamente, ocupando a 20ª posição, pois todos os outros clubes iniciaram a competição com zero.

As três vitórias consecutivas, nas três primeiras rodadas, fizeram a Raposa pegar o elevador e alcançar a nona posição, a mais alta ocupada pelo clube na competição.

A derrota por 1 a 0 para a Chapecoense, no Mineirão, na 4ª rodada, fez o time passar a retroagir na tabela de classificação. O futebol ruim derrubou Enderson Moreira, após cinco partidas sem vitória (três derrotas e dois empates). No geral, considerando os oito jogos em que comandou o Cruzeiro, alcançou 45,83% de aproveitamento.

A postura cruzeirense não mudou com Ney Franco. O time seguiu encarando a Série B sem a entrega que a competição exige. Já são seis jogos com o novo treinador, com duas vitórias e quatro derrotas. E seu aproveitamento é de 33,33%.

Até nisso, a Raposa andou para trás. O que estava ruim, piorou. E o objetivo inicial, que era entrar no G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro, passou a ser deixar a zona de rebaixamento da competição.