O Grupo de Quadrilha “Arraiá Pequizá” foi a Câmara Municipal pedir apoio aos parlamentares para participar do Concurso Nacional de Quadrilha que será realizado em Palmas (TO) no próximo dia 20, mas saíram de lá de mãos vazias.

O grupo venceu pela quinta vez consecutiva o concurso de quadrilha em Belo Horizonte e nem assim conseguiu sensibilizar as autoridades. Inicialmente buscaram o apoio do prefeito. No gabinete, foram desestimulados pelo prefeito.

“O prefeito ligou para o Secretário de Cultura na nossa frente, mas o secretário disse que a prefeitura não pode arcar com nada porque não tem dinheiro. Pedimos ao menos que ele intercedesse na questão logística, já que o transporte é o maior entrave, mas ele foi curto e grosso. ‘A prefeitura não pode apoiar e vocês também não podem fazer nada’ foram as palavras que ele usou, que soaram até como uma ameaça. Realmente  e infelizmente, a gente não pode fazer nada”, disse Rafael Borges, presidente do grupo.

“São 60 grupos no Estado, regularizados assim como nós. Todos recebem apoio governamental para levar o nome das suas cidades. Em Montes Claros,  a cultura não é importante”, desabafou.

Para “salvar” a viagem a Tocantins, o grupo está vendendo bilhetes de rifa a R$ 5 reais até a próxima quinta-feira, 20, quando fará apresentação no estacionamento do Shopping e logo em seguida o sorteio do prêmio de R$ 500 reais.  Caso não consigam arrecadar os R$ 15 mil necessários, a participação em Tocantins poderá ser cancelada.

O Arraiá Pequizá tem 50 integrantes e está na estrada há 17 anos. Habitualmente se apresentavam no Festival de Quadrilhas promovido pela Prefeitura de Montes Claros, mas o evento foi encerrado na administração do prefeito Humberto Souto.

O secretário de Cultura, João Rodrigues, não atendeu às ligações.