Afonso Teixeira, de 61 anos, artista plástico com muita história no cenário montes-clarense e internacional, é um dos talentos a se apresentar na série on-line “Cultive.com”, idealizada e produzida pela produtora cultural montes-clarense Berenice Chaves, via plataforma Youtube. 

O projeto vem apresentando gêneros artísticos como música, dança, artes plásticas e literatura, mostrando renomados artistas brasileiros e montes-clarenses. “Fico muito feliz em participar de uma demanda cultural, ainda mais com um projeto dessa envergadura, onde as artes em geral são contempladas. Sou grato por fazer parte desse projeto de muita garra, num momento atípico como esse. Aproveito para parabenizar a competente Berenice Chaves”, diz.

O artista conta que tudo começou ainda criança, quando teve uma paixão pelo desenho e pintura, vendo gravuras de quadros clássicos e dos livros e revistas especializadas em arte. “Meu pai era um grande desenhista, ficava admirando sua capacidade de retratar. Não me lembro dos meus primeiros desenhos, porém ainda são muito vivas as lembranças de menino, amigos e pessoas do meu círculo de convivência infantil que ficavam curtindo o que eu representava, em lápis, tintas e modelagem em argila. Nunca mais parei, ou sempre comecei a fazer o que amo: arte”, conta. 

Na adolescência, aos 9 anos, as tintas à base de óleo começaram a lhe fazer mal, devido à carga de metais pesados. “Ainda bem que nessa época o Brasil começou a produzir tintas à base de água, e a acrílica foi minha salvação. Fui chamado para participar de uma feira dominical de arte. Eu era o participante mais novo. Ali, artistas já consagrados levavam seus trabalhos para venda e a admiração dos que ali passavam. Esse foi o embrião da minha entrada definitiva como profissional das artes”, revela.

A partir daí, a carreira no Brasil e exterior alavancou, e Afonso participou de salões de arte – onde foi contemplado com vários prêmios – e, naturalmente, as galerias, como vitrines e leilões de artes. “Foram inúmeras individuais e coletivas. Mas uma exposição em particular, que fiz no Banco Mundial, foi comprada integralmente por uma galeria de Brasília”, diz.

Na França, o artista fez cinco edições em períodos distintos. Em um desses eventos levou um vídeo para ilustrar as pinturas que ali representavam os dançantes, das festas e cortejos de agosto em Montes Claros, Os Catopês, Marujos e Caboclinhos, parte fundamental do folclore do Norte de Minas.
 
PANDEMIA
Com a pandemia, o artista precisou fazer algumas adaptações em seu atelier para continuar ministrando cursos. Nas aulas, por exemplo, usa os protocolos de segurança como máscaras, álcool em gel e distanciamento.

“Porém, no isolamento é que as pessoas reclusas em seus lares começaram a perceber que suas casas precisavam de mais carinho, as paredes de quadros, os cantos e jardins de escultura, entre outros. E a arte vem fazendo seu papel de humanizar o homem”.

O ano novo se aproxima e, com ele, muitos planos profissionais. É o que o artista vai contar na série, no próximo domingo (27), a partir das 20h. 

“Tenho uma demanda junto aos Eclesiásticos, de fazer um grande painel em conjunto com os passos da Via-Crúcis (estações) e continuar o meu labor, naturalmente. Aliás, os pintores de ateliês, como eu, já vivemos essa experiência de solitude”, conta.

Série on-line Cultive.com convida Afonso Teixeira
Data: 27 de dezembro
Hora: 20h
Onde: www.youtube.com/Berenicechaves1