“Viver e não ter a vergonha/De ser feliz/ Cantar, e cantar, e cantar/ A beleza de ser um eterno aprendiz...”. É o que diz o trecho da música de Gonzaguinha “O Que É, o Que É?”. E é isso o que o cantor Junior Diaz tem feito todos os dias. Cantar! Ele faturou o primeiríssimo lugar no concurso Voz de Minas, realizado pela Funorte e pelo programa Raquel Muniz/D’elas, em parceria com o UniSant’Anna, W Mano’s, Balé de Ítalo Quadros e Banda Impacto.

Um festival que devolveu a vida à cena cultural da cidade, que andava silenciosa em função da falta de políticas públicas de incentivo à cultura na retomada pós-pandemia.

“No momento tenho cantado bastante. Esse concurso acendeu uma chama interessante em mim, de que precisava me arriscar mais musicalmente e tenho feito isso”, diz Diaz, de 22 anos, natural de São Francisco.

Morando em Montes Claros desde os 3 anos de idade, o cantor afirma que a iniciativa dos idealizadores do festival é uma oportunidade de fomentar a cultura local.

“Como sempre digo, o Norte de Minas é um celeiro de talentos escondidos. Infelizmente, aqui ainda não é um polo de oportunidades, então, a ideia do concurso foi muito proveitosa. A proposta era revelar talentos da nossa região, e foi cumprida. Feliz fico em saber que eu sou um desses”, comemora.

No concurso, Diaz foi premiado com R$ 5 mil e a gravação, por parceiros do programa, de um videoclipe com música autoral, além de quatro horas de estúdio para gravação e uma bolsa integral para o curso a distância de Música do UniSant’Anna.
 
SONHO
“O primeiro lugar foi algo incrível para mim. Entrei disposto a brigar por ele, mas nesse meio tempo conheci cantores incríveis dos quais também me tornei fã. Além da premiação, o maior presente que essa competição me trouxe foi realmente descobrir que existem pessoas sonhando esse sonho comigo”, diz Junior Diaz.

Durante o concurso, o cantor foi orientado por Leila Brito, que tem 28 anos de carreira e transita pelos gêneros musicais popular e erudito, cantando músicas de repertório mesclado, nacional e internacional. 

“Foi uma honra ter passado pelas mãos dela. Ela foi generosa, passando um pouco de sua experiência como artista pra gente. O time Leila sempre esteve unido e recebi apoio dos meus colegas desde o início. Mesmo sendo uma competição, foi possível ter muito apoio e admiração mútua”, conta.

Ao escolher o repertório para participar do “Voz de Minas”, Diaz optou por músicas atrativas e que deixaram o público entusiasmado, com aquele gostinho de quero mais.

“As músicas para esse tipo de competição precisam ser impactantes. Pensei em me desafiar quando as escolhi, queria sair do óbvio. E saí feliz com cada escolha. Cantei músicas de artistas de quem sou fã”.
 
DESAFIOS
Para os próximos anos, o cantor se manterá focado em dar o seu melhor em cada projeto que está envolvido. “Acho que precisamos nos empenhar ainda mais e levar o Norte de Minas cada vez mais longe. Infelizmente, faltam apoio e, principalmente, investimento, mas sigo confiante em cenários melhores”, afirma.

Para Junior Diaz, o momento é de preparação para desafios futuros e com “uma sede enorme de fazer coisas incríveis no meio musical”. 

Para acompanhar o cantor, basta segui-lo no Instagram @junioordiaz_. “É por lá que estou mais ativo e sempre divulgando meus trabalhos, onde estou soltando a voz. Me sigam lá para acompanhar de perto os meus próximos passos”, convida.