Não teve plano infalível que desse jeito: Cebolácio Menezes da Silva Júnior, mais conhecido como Cebolinha, já é um sessentão. O aniversário aconteceu no último dia 24, pelo menos oficialmente. Estudiosos em Turma da Mônica descobriram que a verdadeira data de nascimento é março de 1960, após o menino que troca o R pelo L aparecer numa edição da revista “Zas-Trás”.

Independentemente do mês de criação, o fato é que Cebolinha – inspirado num amigo de Mauricio em Mogi das Cruzes, igualmente de cabelos espetados e com problema de dicção –se tornou um dos personagens mais queridos do desenhista Mauricio de Sousa. Há seis décadas, “ele era menorzinho, falava Franzinha no lugar de Franjinha e tinha muito mais cabelo”, assinala o jornalista Renato Félix.

“Não sei exatamente quando ele virou protagonista, mas já estrelava a própria tira em 1963. Interessante é que, por décadas, as tiras da Turma da Mônica continuaram sendo chamadas de ‘Cebolinha’ nos jornais. Embora a Mônica tenha virado a número 1, ele continua protagonista”, ressalta Félix, lembrando-se do recém-lançado filme “Laços”, em que Cebolinha é o centro de todas as ações.

Félix conjectura o que pode ter levado Cebolinha a ficar em pé de igualdade com aquela “dentuça”, citando o gibi lançado em 1973. “A capa é bem ‘gibi para menino’, com o Capitão Feio atacando as crianças num balão e o texto falando em ‘incríveis aventuras’. Apesar disso, era uma revistinha essencialmente de humor. Isso fez com que virasse o personagem com que os meninos se identificam mais”, analisa.

Sidney Gusman, responsável pelos projetos especiais da Mauricio de Sousa Produções, prefere dizer que Cebolinha é um coprotagonista. E destaca que ele vai muito além de querer ser o dono da rua. “É um menino cheio de energia, o que acaba atraindo a atenção de quem lê, tanto os meninos quanto as meninas. Esse bem-vindo duelo dele com a Mônica pelo protagonismo é o que gera a química que os leitores do Mauricio tanto gostam”.

Para Gusman, é difícil pensar em um personagem sem lembrar do outro. Os leitores que acompanham a “Turma da Mônica Jovem” sabem bem o que o coordenador está dizendo. Mais crescidinhos, eles namoram, separam e, numa edição passada no futuro, chegam a se casar.
 
MAIS PARABÉNS
Sidney Gusman revela que a ideia do estúdio é comemorar o aniversário de Cebolinha durante um ano, com lançamentos especiais acontecendo até o segundo semestre de 2021. Um deles pode ser anunciado em dezembro, quando acontecerá a Comic Con Experience – CCXP, que será realizada de forma on-line e gratuita. “Também haverá novidades em outras mídias”, adianta.

Sobre o segundo filme da Turma da Mônica, baseado em “Lições”, Gusman afirma que o trabalho dirigido por Daniel Rezende está praticamente pronto. ‘Há dois meses e meio vimos o primeiro corte, com cada um em sua casa, usando um link do tipo ‘Missão: Impossível’, em que acabou de assistir, ele ‘explode’. Depois nos reunimos por Skype e estava todo mundo de olho inchado”, lembra. Devido à pandemia, o lançamento em dezembro teve que ser adiado.