A música é uma das mais antigas e poderosas formas de expressão da humanidade. Defini-la vai muito além de explicações teóricas ou conceitos técnicos, uma vez que é capaz de transformar vidas. É o caso do jovem Robert Amintas da Silva Lopes, de 18 anos, que toca violão, trompete, flauta transversal, escaleta, gaita, sax, teclado e ukulele. 

Ele concluiu o ensino médio em 2019, passou pelo Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez, mas aprendeu sozinho quase tudo o que sabe de música. É filho da agente de saúde Josimeire da Silva Lopes, que alugou uma casa para receber crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social. Tudo isso, com recursos de reciclagem e, muitas vezes, do próprio bolso. 

Em julho de 2019, Robert gravou o CD “Som do Céu”, que não teve a repercussão que sonhava, mas foi de muita importância para sua carreira. Uma das faixas homenageia o principal líder político da história da África do Sul e um dos grandes nomes mundiais da luta contra a opressão racial, Nelson Mandela.

“Essa foi a primeira música que escrevi, e foi através dela que comecei a crescer no meio musical. Essa canção abriu muitas portas para mim. E quando menciono Mandela na música, é porque acredito que podemos fazer a diferença onde estivermos. Muitos poderão nos julgar, mas, através da arte ou da música, mudarão de ideia. Esse é o papel da música na formação de pessoas, na melhoria do convívio social e na realização de sonhos”, conta. 

Neste ano, Robert pretende lançar seu segundo trabalho junto com outro músico, o Gabriel Durães, parceiro do projeto “Expresso Cultural”, que leva cultura regional e brasileira para as ruas de Montes Claros. Gabriel toca violão, gaita e escaleta. 

“Pretendemos lançar nosso primeiro trabalho juntos, para isso, lançamos uma “vaquinha” on-line, pois o dinheiro que ganhamos na rua não cobre a produção desse CD”, conta. Eles se apresentam na Praça Dr. Carlos e no Quarteirão do Povo. Para contribuir é só entrar em contato pelo telefone (38) 9 8833-6287.

Robert também participa do projeto social Jabs – Jovens e adolescentes em busca de superação –, sem fins lucrativos, no qual crianças e adolescentes recebem gratuitamente aulas de musicalização, flauta doce, violão, balé, coreografia, bateria, inglês, entre outras. O projeto não tem sede própria e as aulas são ministradas numa casa alugada pela mãe.