A pandemia do coronavírus vai impor mais uma mudança em tradições e festejos mineiros. Nesta virada de ano, o Terno de Folia de Alto Belo e a tradicional Festa da Folia de Reis de Alto Belo celebram 39 anos de existência. Mas, em função da Covid-19, as comemorações vão ocorrer de forma diferente.

Não será possível realizar o Giro de Reis tradicional, que sempre começa à meia-noite do dia 24 e termina em 6 de janeiro, Dia de Reis.

Também não haverá a Festa de Reis, que sempre ocorre no segundo fim de semana de janeiro.

Idealizada pelo poeta, cantador e violeiro Teo Azevedo, um guardião e batalhador pela preservação e divulgação da cultura popular, a festa recebe anualmente milhares de visitantes de todo o país, como estudantes, jornalistas, pesquisadores e artistas, atraídos pela originalidade e fidelidade às tradições regionais.

“Queremos agradecer o apoio que sempre tivemos do povo de Alto Belo, do Norte de Minas, de todo o Brasil, dos nossos foliões de reis, que nunca deixaram de nos prestigiar. Mas, infelizmente, neste ano as festividades e celebrações só vão acontecer na igreja de Alto Belo”, diz Teo Azevedo, coordenador do evento.
 
TERNO DA FOLIA
A presença do Terno da Folia de Reis se dará à meia-noite, apresentando quatro cantos de reis, um guaiano e um lundú, com o povo obedecendo o distanciamento social dentro da igreja.

E em 6 de janeiro, Dia de Reis, na Fazenda Três Irmãos, região do Rio do Félix, residência de Paulão e Vilma (a 5 quilômetros de Alto Belo), às 11h, haverá missa de Reis com o padre Júnior, em comemoração à 39ª Festa de Reis de Alto Belo, também obedecendo o distanciamento social.

Após a missa, acontecerá um almoço dos foliões.
 
HISTÓRIA 
De origem portuguesa, ligada às comemorações do culto de Natal, a festividade se mantém viva nas manifestações folclóricas sertanejas graças à forte religiosidade do distrito de Bocaiuva.

Patrimônio imaterial de Bocaiuva, o festejo é realizado entre o Natal e 6 de janeiro – Dia de Reis. Exalta a adoração dos três Reis Magos ao Nascimento de Jesus.

Em cenário colorido por estandartes, o som que mais se ouve é o produzido pelos 17 integrantes do Terno de Folia de Reis de Alto Belo, principalmente a viola caipira, sertaneja ou cabocla, cantoria enriquecida ainda por outros instrumentos, como a rebeca ou rabeca, acordeons, violões, cavaquinhos, reco-recos, caixas e pandeiros, um banquete musical completo.