Comida saudável é o melhor remédio para o corpo e contra as tristezas frente à pandemia e ao isolamento. E tem muito sabor, sim, senhor! Quem prova isso é a chef Dilma Pimentel, que conversa com a gente e traz uma receita muito especial: uma saborosa lasanha de espinafre. 

Em nosso bate-papo, ela explica que vegetarianismo, flexitarianismo, pescetarianismo, crudivorismo, ovolactovegetarianismo são estilos de vida, porque traduzem aspectos comportamentais que vieram para ficar. 

“Tanto é que nos últimos seis anos, o número de vegetarianos cresceu 75% no país. Ainda que 81% da população brasileira tenha uma alimentação onívora, deixar de comer carnes tem se tornado uma tendência mundial, uma mudança na forma de se alimentar. A ideia é que as pessoas se abram para novos sabores e novas possibilidades”, conta.

Cada vez mais pessoas decidem adotar uma dieta vegetariana. Seja por motivos de saúde ou de convicção e paixão pelos animais, não é?

O vegano é o vegetariano estrito, pois, além de não comer carne nenhuma, também não come ovos, leite e derivados, mel, não usa peças de couro e lã animal, não frequenta rinhas, touradas ou qualquer ambiente de maus-tratos a animais, nem usa cosméticos feitos com algum substrato animal ou que seja testado em animais.

O flexitariano se permite, esporadicamente, comer carnes. Os piscitarianos se abstêm de quaisquer carnes, com exceção de peixes e frutos do mar. Os crudanos, adeptos do crudivorismo, só consomem alimentos crus e de procedência, o que não impede de comer proteína animal, como um peixe num Ceviche.

Ovovegetarianos se abstêm das carnes e dos lácteos, mantendo os ovos. Lactovegetarianos se abstêm das carnes e dos ovos, mantendo os lácteos. Ovolactovegetarianos só se abstêm das carnes.

Veja as dicas da chef para ter uma alimentação saudável.
 
Comer saudável é caro?
Mito. É tão caro, podendo ser mais barato, quanto comer mal. Lembrando que os prejuízos à saúde causados ao longo de uma alimentação deficitária traz um dano financeiro muito maior com despesas hospitalares futuras. Prevenir é sempre mais barato e inteligente. Em verduras e legumes encontramos vitaminas, minerais, proteínas e tudo que precisamos para manter nosso corpo saudável. Quanto custa isso?
 
Quais são as dicas fundamentais pra se alimentar bem sem gastar muito?
Existe um movimento desde 2009, chamado Segunda Sem Carne, que faz o maior sucesso e gerou uma adesão expressiva. Por que não estipulamos dias da semana sem produtos industrializados, diminuindo as carnes, inserindo uma nova verdura? Vamos fugir da salada alface e tomate? Achamos caro cogumelos frescos, mas não achamos caro 1 kg de carne. Pesquisemos sobre os nutrientes em folhas verdes, em grãos e sementes. Já experimentou comer grão-de-bico? Não é caro, rende demais e faz um bem enorme para nossa saúde.

Em sua opinião, por que as pessoas não comem de maneira saudável?
Comer mal é prático, fácil e está à mão. Liga e pede um sanduíche, coloca industrializados dentro do pão, frita umas porcarias. Comer bem requer planejamento. Quanto tempo leva para fazer uma boa salada ou qualquer prato elaborado? Os processados já vêm prontos, sem contar que eles são ricos em realçadores de sabor, o que torna difícil de competir com algo saudável e que você não sabe realçar o sabor natural dos alimentos. Poucos têm tempo ou paciência para coisas relevantes, para investir a longo prazo, para um autoinvestimento. É preciso se amar, amar seu corpo e percebê-lo como uma máquina suscetível à falência, caso você não invista nela.
 
Qual ingrediente não pode faltar na cozinha? 
Na minha cozinha não fico sem cebola, tomate e cúrcuma.
 
Quais os desafios na vida de quem trabalha cozinhando? E a melhor parte?
Uma dificuldade de um chef é não poder partilhar de momentos em família como Natal, Réveillon e outras tantas datas em que estamos realizando desejos dos clientes. Raramente temos lazer. O trabalho é intenso e estafante. A recompensa é a mágica que fazemos com os ingredientes: transformar farinha e ovos em bolos maravilhosos, folhas diversas em saladas apetitosas, dar vida a receitas como a que vou passar agora, desmistificando que comida nutritiva é sem sabor. Sentir que seu trabalho frutifica, vale a pena sempre. Nada fácil tem valor.
 
Conta alguma coisa importante que você descobriu a respeito da alimentação saudável
O melhor Detox que existe se chama água, bastando consumir de 1,5 a 2 litros por dia. Carboidrato não é vilão, ele nos fornece energia e é um dos principais macronutrientes construtores que precisamos. O excesso dele, assim como de açúcar, sal e gordura, é que nos faz mal. Cada cor do alimento tem sua função, ou seja, quanto mais colorido seu prato, mais nutriente você consome. Podemos e devemos consumir um ovo por dia, sem qualquer risco. A lecitina do ovo diminui a absorção do colesterol e os nutrientes dos ovos são importantíssimos para nossa saúde. Além da mandioca, que podemos congelar crua e picada, também podemos congelar abóbora e batata baroa/ mandioquinha cruas, sem branquear. Lembrando que o congelamento não retira os nutrientes dos alimentos saudáveis. Não é necessário esperar descongelar a mandioca, abóbora ou baroa para levar ao fogo. Eu congelo cortada, lavada e pesada, no ponto de levar ao fogo.

Para acompanhar a chef: Facebook dilma pimentel lima
Instragram @dilma.pimentellima
 
Depois desse papo super agradável, a nossa receita:
Ingredientes:
- 1 molho grande de espinafre
- 400g de massa fresca para lasanha (esse peso depende do tamanho de seu refratário)
- 500g de queijo mussarela fatiada (esse peso depende do tamanho de seu refratário)

Para o molho:
- 1 litro de leite
- 6 colheres (sopa) cheias de farinha de trigo
- 3 colheres (sopa) cheias de manteiga
- 2 caixas de 200g cada de creme de leite
- 6 colheres (sopa) cheias de queijo parmesão ou um mais curado
- Sal, pimenta do reino e noz moscada moídas na hora, alho e azeite a gosto

Modo de preparo:
1. Retirar todas as folhas do espinafre, lavar, secar e refogar inteiras numa frigideira antiaderente bem quente com um pouco de azeite e alho. 

Depois de refogada, bater no liquidificador com as caixas de creme de leite. 
Reserve.

2. Numa panela coloque a manteiga e a farinha e vá torrando sem parar de mexer (com uma espátula de silicone ou fuê). Quando estiver dourada, junte o leite aos poucos, para não empelotar, até finalizar todo o leite. Desligue e tempere com sal, pimenta moída na hora, noz moscada e as colheres de queijo. Junte o espinafre batido.

3. Agora é montar a lasanha: num refratário coloque um pouco do molho, depois a massa, depois molho, depois queijo. Repita a operação, sem exceder no molho. Termina polvilhando parmesão ralado na hora. Assar em forno preaquecido a 200 graus por 25 minutos, coberta com papel alumínio. É fantástica.