Durante anos, Juliane Rodrigues Leite, a Boneca Juquita, foi atração nos principais palcos de Montes Claros e região. A artista, além de se apresentar nos teatros e em grandes eventos, enchia de alegria as festas dos pequenos. Com roupas coloridas, travessuras e muitas histórias, cativava crianças e adultos.

Agora, durante a pandemia, Juquita e equipe estão, mais do que nunca, trabalhando de forma virtual. As brincadeiras, jogos, desafios e oficinas ganharam um novo formato e hoje fazem parte do programa semanal que Juquita tem nas redes sociais. 

O programa ajuda a entreter as crianças neste tempo de isolamento social, pois conta com a participação ao vivo do público infantil, que está em casa.

“Isso foi o que nos fez aproximar novamente de Montes Claros. Percebemos a saudade e o carinho das crianças, dos pais e das parcerias daqui. Voltamos para nossa terra natal, onde a magia aconteceu, para fazer brilhar essa energia novamente em Minas Gerais”, conta.

A boneca Juquita surgiu lá no início de 2000, do amor de Juliane pelo universo lúdico. Isso porque, desde criança, ela sonhava em ser palhaço, duende, fada e herói. Quando leu Monteiro Lobato e assistiu ao Sítio do Pica Pau Amarelo, se apaixonou pela Emília, aquela bonequinha de pano de 40 centímetros, que protagoniza as obras infantis de Monteiro Lobato e incendeia a imaginação de todos os seus leitores. 

“Fui e sou apaixonada pelo universo criado por Monteiro Lobato, especialmente pela Emília. Então, se a Emília pode ter vida, deve haver mais bonecas nesse mundo encantado...”, revela. Foi aí que a Boneca Juquita saiu da imaginação para a vida real.

“Ela saiu então de um livro encantado, foi batizada por uma fada que a visitou e realizou esse sonho. A partir daí, juntei o nome (Ju) com o dela (Quita) e ficou Juquita. Quando falamos Juquita, a gente sorri”, diz.
 
SÃO PAULO
Hoje já são 20 anos de muita estrada e muitas histórias para contar. Neste período, as mudanças foram inevitáveis, incluindo deixar o Norte de Minas e alçar voo para São Paulo, na busca de inovar, de se reinventar. 

Sobre a idade da boneca, ela tem uma teoria. “A idade, ah, a idade é só um detalhe. Aliás, no mundo da fantasia não existe idade, não é? Sempre houve uma criança dentro de mim e toda criança sonha ser um personagem do mundo da fantasia”, conta.

Na capital paulista, Juquita e Juliana ficaram por oito anos, o que permitiu à artista conhecer novos mundos, expandir o conhecimento e fazer grandes amizades e parcerias. Juquita, inclusive, ganhou as telinhas da TV, onde apareceu junto com grandes amigos, como o Palhaço Leleko, Turma da Pakaraka, Teleco e Teco, Zig Zag Show, dentre outros.
 
SERVIÇO
Para conferir as publicações diárias de conteúdo educativo e vídeos da Boneca Juquita, é só acompanhar no www.instagram.com/bonecajuquita.