Mais de 100 personalidades e instituições, dentre elas governadores, representantes da sociedade civil, dos poderes Executivo e Legislativo e do Ministério Público receberam ontem, em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, a Medalha JK.

A comenda homenageia, desde 1996, personagens de destaque nos cenários político, econômico, social e cultural de Minas e do país, que contribuem para o desenvolvimento de Minas Gerais.

Orador do evento, o governador Fernando Pimentel lembrou, na solenidade, a política de Juscelino Kubitschek, ressaltando o empreendedorismo e coragem para promover o desenvolvimento do país do ex-presidente.

“Talvez mais do nunca, hoje seja necessário e imprescindível lembrar Juscelino. O visionário mineiro que soube estimular a indústria nacional com o programa de metas, expandiu a capacidade energética do país, ampliou a mobilidade da rede rodoviária, e claro, construiu a nova capital do país, Brasília”, observou.

Pimentel comparou as injustiças sofridas por JK com o atual momento político do país, recordando que o ex-presidente manteve a serenidade e a confiança nos ideais mesmo sofrendo injustiças durante e depois do mandato.

“Essa lembrança inspira a todos os brasileiros, em meio à tempestade que o país atravessa. E, para atravessar e vencer essa tumultuada quadra da nossa história, Minas oferece o exemplo de Juscelino. Com uma virtude, em especial, muito própria dos mineiros”, afirmou.
 
RESPONSABILIDADE
Autoridades e homenageados agradeceram a honraria e também lembraram a importância de Kubitschek para o país. “Dizia JK: construímos para gerações do futuro. Assim ele fez. Precisamos de choque de realidade e não de fantasias. Ninguém constrói o futuro esperando o futuro chegar. O presente é o amanhã e a responsabilidade é nossa”, disse o prefeito de Diamantina, Juscelino Roque.

Soraya Araújo Ferreira Alcântara, diretora da Arte Miúda – tradicional escola de música e artes de Diamantina –, recebeu a Grande Medalha. “Para nós é ainda mais bonito, porque neste ano a Arte Miúda completa 30 anos. O mais importante de tudo é que essa medalha é um sinal de valorização da cultura, da arte e da educação. Esse trio é a esperança atual, é o futuro do nosso país”, destacou, emocionada.

Já o chef de cozinha Flávio Trombino – homenageado com a Medalha de Honra – destacou a importância de a gastronomia estar sendo tratada hoje como uma prioridade pelo governo de Minas Gerais. “A gastronomia é uma cadeia muito grande, que vai além dos chefs de cozinha. A gente se sente lisonjeado pela medalha. Os investimentos públicos nessa área que têm acontecido são muito importantes para o Estado”, afirmou.
 
HISTÓRICO
A Medalha JK foi criada pela Lei nº 11.902, de 1995, sendo entregue pela primeira vez em 1996. A cerimônia é realizada anualmente no dia do aniversário do ex-presidente, nascido em 12 de setembro de 1902.