alerta

Cuidado com a fogueira

Número de queimados aumenta no período da festas juninas e julhinas; campanha alerta para precauções na hora de lidar com fogo e enfeites

Larissa Durães
Publicado em 20/06/2022 às 23:11.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 180 mil pessoas morrem por ano em consequência de queimaduras, que são a quinta causa mais comum de lesões não fatais na infância. (PREFEITURA MUNICIPAL DE BAEPENDI/AGÊNCIA BRASIL/DIVULGAÇÃO)

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 180 mil pessoas morrem por ano em consequência de queimaduras, que são a quinta causa mais comum de lesões não fatais na infância. (PREFEITURA MUNICIPAL DE BAEPENDI/AGÊNCIA BRASIL/DIVULGAÇÃO)

Junho e julho são meses de festas típicas em todo o país, com fogueiras, fogos de artifício, balões e muito quentão e canjica. Brincadeiras e diversão sempre com a presença de fogo. Por isso, neste Junho Laranja as autoridades em saúde alertam para a necessidade de adotar cuidados para que a festa não acabe no hospital.

Entre janeiro e abril deste ano, já foram registrados 3.540 procedimentos hospitalares e 32.631 atendimentos ambulatoriais por causa de queimaduras no Brasil. Números que crescem durante as festas juninas e julhinas.

Referência no atendimento a queimados em Montes Claros, a Santa Casa realizou, neste ano, uma média mensal de 169 procedimentos em vítimas de queimaduras.

Segundo o Ministério da Saúde, em junho é comum aumentarem os casos, e a prevalência é de queimaduras de segundo grau, com destaque para as lesões dos membros superiores (mãos e braços), tronco e cabeça.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 180 mil pessoas morrem por ano em consequência de queimaduras, que são a quinta causa mais comum de lesões não fatais na infância. As queimaduras não fatais podem causar hospitalização prolongada, desfiguração e incapacidade, muitas vezes resultando em cicatrizes e rejeição.
 
CAMPANHA
A Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) afirma que o alerta vale para todas as idades, mas com um destaque maior para crianças menores de 5 anos: possuem pele mais fina, tempo de reação menor, pouca agilidade e, principalmente, a curiosidade.

O capitão Dilson Veloso, do 7º BBM de Montes Claros, aponta os cuidados necessários nesse período: que os fogos de artifício sejam acesos em locais afastados de aglomerações, que as crianças sejam sempre supervisionadas por um adulto e tenham acesso a itens para sua respectiva faixa etária.

De 2015 a 2021, a corporação atendeu 89 casos de queimaduras referentes às cidades de Montes Claros, Janaúba, Salinas, Januária, Francisco Sá e Bocaiuva.

Já o Samu Macro Norte computa 262 vítimas, de 2019 a 2021, e 29 de janeiro a maio deste ano.

CEMIG
Quem também faz um alerta especial para esse período é a Cemig, que chama a atenção sobre os cuidados a serem tomados na instalação de todos os tipos de enfeites e ornamentos.

O gerente de Saúde e Segurança do Trabalho da Cemig, João José Magalhães Soares, orienta que todos os enfeites devem ser bem afixados em locais apropriados, de forma que, em caso de tempestade ou ventania, não encostem ou caiam sobre os fios da rede elétrica.

“Em vias públicas e praças, os enfeites e ornamentos precisam ser instalados longe das redes de energia e jamais podem ser afixados nos postes ou padrões. Outra recomendação importante: as linhas de sustentação das bandeirinhas devem ser feitas de barbante ou linha de pesca, mas nunca de arame, fio metálico ou linha chilena. A utilização desses materiais traz risco iminente de acidentes”, ressalta o gerente da Cemig.

Primeiros socorros
Em casos de queimadura, o paciente deve colocar, de imediato, a parte queimada debaixo da água corrente fria, com jato suave, por aproximadamente dez minutos. Compressas úmidas e frias também são indicadas, segundo orientações do Ministério da Saúde.

Se houver poeira ou insetos no local, mantenha a queimadura coberta com pano limpo e úmido. No caso de queimaduras em grandes extensões do corpo por substâncias químicas ou eletricidade, a pessoa necessita de cuidados médicos imediatos.

É importante nunca tocar a queimadura com as mãos; nem furar bolhas; tentar descolar tecidos grudados na pele queimada ou retirar corpos estranhos ou graxa do local queimado. Não se pode colocar manteiga, pó de café, creme dental ou qualquer outra substância sobre a queimadura. O Ministério da Saúde lembra que somente o profissional de saúde sabe o que deve ser aplicado sobre o local afetado.

Compartilhar
Logotipo O NorteLogotipo O Norte
E-MAIL:jornalismo@onorte.net
ENDEREÇO:Rua Justino CâmaraCentro - Montes Claros - MGCEP: 39400-010
O Norte© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por