Felipe César Lazzarini, de 18 anos, suspeito de ter abusado de uma criança de 5 anos, que seria prima dele, foi transferido ontem de Belo Horizonte para Montes Claros e apresentado à imprensa pela delegada Karine Maia, da Delegacia da Mulher.

De acordo com as investigações policiais, em 31 de julho deste ano ele molestou a criança sexualmente, aproveitando-se da confiança da família, depois de ficar 15 dias hospedado na residência, no bairro São Judas. No dia seguinte ao crime, o suspeito fugiu para a capital mineira. 

No exame de corpo de delito ficou constatado que ocorreu realmente o crime e que o abusador provocou lesões na região perianal da criança. Isso, depois de, sob o argumento de que a menor era sua “namoradinha”, fazer, segundo declarou a vítima a psicólogos, sexo oral. Mais ainda, a avaliação psicológica apontou que a criança apresenta vários sinais de abuso sexual, como medo do agressor. 

A delegada Karine Maia observou ser temporária e não preventiva a prisão. “E, agora, temos prazo de 30 dias para investigações, que pode ou não ser prorrogado por igual período”. Ela lembrou que o mandado de prisão foi expedido em 15 de agosto e a prisão ocorreu três dias depois.

Segundo a delegada, no depoimento colhido pouco antes da entrevista coletiva, Lazzarini negou ter praticado o abuso sexual, atribuindo a acusação a desavenças entre sua mãe e a mãe da vítima.