A morte de um menino de 10 anos na zona rural de Indaiabira, no Norte de Minas, cidade com pouco mais de 7 mil habitantes, tem espantado os moradores da região. Dado como desaparecido na última quinta-feira (14), seu corpo foi encontrado nessa sexta (15) carbonizado, com pedaços mutilados e sendo devorado por cachorros na Fazenda Muzelo. As circunstâncias do desaparecimento da criança ainda são um mistério. 

 

No dia 14, segundo informações levantadas pela Polícia Militar, a criança havia ido a escola na comunidade de Muzelo, e não retornou mais a casa. Segundo a mãe do garotinho, que tem 30 anos, ele morava com ela na comunidade de Lagoa de Baixo, em Taiobeiras, mas há cerca de três meses, ela mandou a criança para para morar com um irmão de criação na região de Indaiabira, distante cerca de 40 quilômetros de Taiobeiras. 

O motivo da mudança alegado pela mãe aos militares foi que a criança estava sendo acusada de ter quebrado o vidro do jipe de um morador de Lagoa de Baixo e que este morador havia ameaçado o menino de morte, dizendo que se o encontrasse iria passar com o jipe por cima dele. 

Mas durante as diligências, os militares levantaram a informação de que o companheiro da mulher é suspeito de abusar do menino e também das irmãs dele, o que poderia ser outro motivo para a mudança repentina do garoto. 

O desaparecimento

Ainda conforme as informações dos militares que atenderam a ocorrência, no dia 14, o garoto foi para a escola de manhã, como de costume, e, na volta, pegou o ônibus com uma colega da classe. Os dois desceram no ponto e o menino seguiu com a garotinha até a casa dela para deixá-la e, depois, rumou em direção a casa do irmão, sozinho. Depois disso ele não foi mais visto vivo.

O corpo

O irmão da vítima relatou aos militares que estranhou quando chegou do trabalho em casa na quinta-feira, por volta das 15h, e a criança ainda não havia chegado. Por isso, mobilizou vizinhos para procurar o irmão, e as buscas aconteceram até as 22h. 

 

Já na sexta-feira, por volta das 5h, os moradores da comunidade passaram a procurar a criança novamente. Por volta das 7h, dois vizinhos encontraram pistas do garoto. Eles informaram à polícia que viram pegadas pequenas perto de uma cerca em direção a uma mata e decidiram segui-las. 

Cerca de 50 metros dali encontraram o corpo da criança todo queimado e sendo comido por cachorros. As testemunhas também notaram que faltavam alguns membros no corpo. 

Possíveis suspeitos

Em diligências, os militares foram atrás do dono do jipe que teria ameaçado a criança de morte em Lagoa de Baixo, mas ele não foi localizado. Já o padrasto da vítima, que é suspeito de cometer abusos sexuais, também não foi localizado e a mãe da criança informou que ele estaria em Pedra Azul. 

Ainda durante as diligências entre Taiobeiras e Indaiabira, os policiais receberam informações de que, por volta das 10h do dia 14, data do desaparecimento do garotinho, o irmão dele teria comprado um litro de gasolina, e que também não teria ido trabalhar neste dia, o que contradiz a versão dele à polícia, quando disse que teria voltado do trabalho e estranhado o fato de o irmão ainda não ter chegado em casa.

No entanto, ao partirem, então, para a casa dele em busca de novas informações, os militares não o localizaram mais. 

Investigação

A Polícia Civil informou que o caso já está sendo investigado, mas que o delegado responsável ainda não falará com a imprensa sobre o assunto. Foi realiza uma perícia técnica no local onde a criança foi encontrada. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros para a realização da necrópsia. Ainda não é possível saber a causa da morte.