Um homem de 41 anos foi preso em Turmalina pelo furto de 1.045 calcinhas e sutiãs. É a segunda vez que o suspeito é detido pelo mesmo crime. As peças foram apreendidas e estão com a Polícia Civil.

A detenção ocorreu após uma denúncia anônima de que o homem havia furtado um revólver em uma residência da cidade. Os agentes da Polícia Militar foram até a casa do suspeito, no bairro São João Batista. A arma de fogo não foi encontrada, mas durante a busca, foram localizadas as peças íntimas guardadas no quarto do morador.

Ao ser revistado, os militares notaram que o homem, que é conhecido na cidade como “Zé”, vestia uma calcinha. Como havia um mandado de prisão em aberto, expedido pela comarca de Capelinha, cidade vizinha a Turmalina, o homem foi preso.

Na delegacia, ele disse em depoimento que não consegue se conter e que até já procurou ajuda com psicólogo. “Ele falou que tem doença de furtar calcinhas, já foi no psicólogo, mas não adiantou. Não sabemos se essa informação é verídica”, conta a delegada Júnia Mara Rodrigues. 

De acordo com um sargento da PM, que pediu para não ser identificado, o homem iniciou tratamento psiquiátrico, indicado pela Justiça na primeira vez que foi detido, mas abandonou a ajuda profissional.
 
JÁ CONHECIDO
Ainda segundo o militar, o homem é popular na cidade já há alguns anos devido ao delito de furto de peças íntimas em residências. 

Segundo a Polícia Civil, órgão de segurança para onde foram levadas as peças íntimas apreendidas, as calcinhas e sutiãs ficarão guardados durante a investigação e poderão ser devolvidos às donas somente após decisão judicial.

O homem foi levado para o presídio de Turmalina e está à disposição da Justiça.

Uma vizinha do ladrão de calcinha disse que foi obrigada a se mudar porque não aguentava mais os furtos. “Ele pulava o muro e, mesmo com a porta trancada, conseguia entrar e furtava minhas calcinhas que estavam no arame ou dentro de casa. Quando eu ia procurar uma calcinha para vestir e não achava, eu morria de raiva e não podia fazer nada. Tem 90 dias que eu mudei de lá”, afirmou ela.

A mulher conta que o homem levou cerca de 30 calcinhas e cinco sutiãs novos, mas ela não registrou boletim de ocorrência. “Eu não procurei a polícia porque sei que ele não fica preso, daqui a pouco está solto de novo. Até carne da minha geladeira ele furtava”, conta a vizinha.