Dois homens, de 24 e 26 anos, que teriam confessado fazer parte de uma quadrilha especializada em roubos a bancos e a carros-fortes, desarticulada no Norte de Minas, foram presos na noite de segunda-feira (30).

Com os presos – Ocean Pereira da Conceição e Edilson Souza do Vale – foi apreendido um fuzil calibre 556, com 32 munições. Outros nove integrantes da quadrilha morreram durante confronto com a Polícia Militar.

De acordo com a PM, as buscas já estavam sendo feitas próximo a um hotel na região de Grão Mogol, momento em que os policiais receberam informações da entrada de integrantes da quadrilha no hotel, com roupas sujas. 

De posse dessas informações, equipes da PM foram ao local e encontraram a dupla, que teria confessado fazer parte da quadrilha, com planos de explodir mais dois carros-fortes na região e assaltar um banco. 

A arma apreendida estava escondida em um local próximo ao hotel, coberta por folhagem, para facilitar o acesso pelos suspeitos, caso precisassem.
 
HELICÓPTERO
A operação contou com a participação de cem policiais e durou seis dias. Foi usado um helicóptero, que fez aproximadamente 6 horas de sobrevoos na região, dando suporte às guarnições.

Os policiais dispuseram também de três drones, dos quais um era utilizado à noite, com imagem térmica, capaz de identificar fontes de calor no terreno onde foi identificada a movimentação de um dos suspeitos, em meio à plantação de eucaliptos. 

O sensor de calor indicava onde estavam os fugitivos e, assim, a PM começou a delimitar a área em que era identificada a presença deles e fazer pressão, até que os suspeitos resolveram se entregar. Os drones também ajudaram com a iluminação e a filmagem.

De acordo com o tenente Santana, do Serviço de Inteligência da Bahia, Edson dos Santos Queiroz, de 34 anos, um dos mortos no confronto, era líder de uma quadrilha que atuava em Salvador e tinha mandados de prisão por homicídios. “Ele era líder da facção e atuava em bairros da Região Metropolitana de Salvador e em Feira de Santana. Era considerado de extrema periculosidade, matando desde os 13 anos de idade”, disse.

Ainda segundo a PM, o homem de 24 anos que foi preso tinha um mandado de prisão em aberto, expedido pela Justiça em Brasília. A quadrilha foi descoberta por meio de uma ação conjunta entre as PMs de Minas e da Bahia e a Polícia Federal.