A terceira etapa de vacinação contra a gripe começa nesta quarta-feira em todo o país sem conseguir bater a meta de imunização nos grupos anteriores. Menos de 30% do público-alvo compareceu a um posto de saúde para tomar a dose contra a Influenza nas outras etapas – foram 23 milhões de doses aplicadas, para um total de 79,7 milhões de pessoas aptas a receber a vacina.

No Norte de Minas, a situação é semelhante. Dos 54 municípios que integram a área de atuação da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros, 17 estão com percentual de cobertura vacinal inferior a 30% do público que já deveria ter sido imunizado.

Outros 35 municípios apresentam percentuais de cobertura variando de 33,7% a 57,3%. Apenas dois municípios estão com cobertura vacinal superior a 60%: Pai Pedro (82,8%) e Vargem Grande do Rio Pardo (60,8%).

Preocupada com essa baixa imunização, a Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros enviou comunicado às secretarias municipais de saúde alertando sobre a necessidade de registro das doses aplicadas no sistema de dados mantido pelo Ministério da Saúde.

NOVO GRUPO
A partir de hoje, a vacinação contra a gripe é direcionada a pessoas portadoras de comorbidades; deficientes físicos permanentes; caminhoneiros; trabalhadores do transporte coletivo; trabalhadores do sistema portuário; forças de segurança e salvamento; militares das forças armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade; a população privada de liberdade; adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas.

Essa nova etapa segue até 9 de julho. A meta é que os municípios alcancem 90% das pessoas que compõem os grupos prioritários – cerca de 22 milhões de pessoas. 

De acordo com a coordenadora de Vigilância em Saúde da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros, Agna Soares Menezes, a vacinação dos grupos prioritários contra a gripe é de extrema importância. 

“A imunização vai prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, óbitos, internações e a sobrecarga nos serviços de saúde. Além disso, a vacinação reduz os sintomas que podem ser confundidos com os da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus”, alerta. 

A coordenadora lembra ainda que a campanha contra a gripe está coincidindo com a vacinação contra a Covid-19. “Considerando a ausência de estudos sobre a coadministração das vacinas, o Ministério da Saúde não recomenda a aplicação das duas doses simultaneamente. Neste momento, a orientação repassada às secretarias municipais de saúde é a de que as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários para a vacinação contra gripe e que ainda não foram vacinadas contra a Covid-19 deverão priorizar a dose contra o novo coronavírus. Na oportunidade, as pessoas deverão agendar a vacinação contra a gripe, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias”, frisa Agna Menezes.

ETAPAS
Na primeira etapa da vacinação, iniciada em 12 de abril, o público-alvo na macrorregião de saúde do Norte de Minas, composta por 86 municípios, foi constituído por 200.667 crianças com idade entre 6 meses a menores de 5 anos; gestantes; puérperas; trabalhadores da saúde e indígenas.

A segunda etapa da campanha foi iniciada em 11 de maio, tendo como público-alvo idosos a partir de 60 anos e professores das redes pública e privada de ensino.

O grupo mais atendido no país foi o de idosos (9,9 milhões de doses), seguido por crianças (8,3 milhões), trabalhadores da saúde (2,3 milhões), gestantes (978 mil) e professores (836 mil).

A cobertura vacinal por segmentos foi mais ampla em crianças (52,3%), puérperas (50,9%) e gestantes (45,8%). Na comparação entre unidades da Federação, as melhores coberturas vacinais foram registradas no Distrito Federal (104%), em Sergipe (33,8%), no Piauí (34,3%), Minas Gerais (34,2%) e na Paraíba (34,1%).

*Com Agência Brasil