A forte onda de calor e o tempo seco que atingem Montes Claros e várias regiões do Brasil geram efeitos indesejados para o organismo, que vão dos mais comuns, como dor de cabeça e tontura, até alguns considerados “invisíveis”, como risco de infarto e alterações na pressão sanguínea.

Segundo Bruno Naves, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), quando a pressão cai devido ao calor intenso e à vasodilatação – processo de dilatação dos vasos sanguíneos –, pode acontecer também queda de pressão nas artérias coronárias que irrigam o músculo cardíaco, com risco de infarto.

Outra consequência possível com o calorão é a desidratação, que deixa o sangue mais espesso e aumenta a frequência cardíaca, outro fator capaz de desencadear ataque cardíaco.

A vasodilatação também é a responsável pelo inchaço nos pés e em outras partes do corpo nesta época. Aquela “cervejinha” que muitos tomam para espantar o calor também pode ser um problema para agravar o quadro, já que a substância tem efeito vasodilatador.

PRESSÃO BAIXA
Segundo a especialista em Clínica Médica Clair Ribeiro, a dilatação do sistema cardiovascular no calor também abaixa a pressão de pessoas mais magras ou sensíveis. Alguns podem até ficar mais ofegantes e irritados por conta do quadro.

Roupas molhadas pelo suor também podem levar a alergias, principalmente na virilha, sob os seios e axilas.

“Além disso, o suor pode causar maior incidência de micose e fungos na pele”, acrescenta a médica.

Já a dor de cabeça, sintoma comum nesta época, ocorre pela desidratação. “A falta de hidratação desequilibra o processo de entrada e saída de sódio e potássio das células, causando um distúrbio no metabolismo que facilita a cefaleia”, esclarece Bruno Naves.

E com todos esses efeitos, o desmaio também pode acontecer. Nas altas temperaturas, ele costuma ser causado pela queda da pressão arterial.
 
IDOSOS E CRIANÇAS
Bruno ainda alerta que idosos e crianças merecem atenção especial nessa época. “Como são mais sensíveis às variações de líquido, podem facilmente evoluir para quadros graves de desidratação e até morte”, explica. Portanto, esse grupo merece uma hidratação especial neste período.

SAIBA MAIS
Nesta época de calor, é necessário prestar mais atenção aos alimentos consumidos, alerta o presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), Bruno Naves. “O indicado é optar por frutas, verduras, legumes e grelhados. A hidratação precisa ser abundante e deve-se evitar alimentos gordurosos e salgados. Isso contribui para evitar os efeitos do calor”, explica.

O consumo de álcool também pede moderação. A prática de esportes deve ser evitada nos períodos mais quentes do dia. O ideal é procurar ambientes ventilados e, se possível, em dias muito secos, usar nebulizador.

Para prevenir inchaço e danos ao sistema circulatório, Naves diz que elevar as pernas acima do coração por pelo menos 15 a 20 minutos, três vezes ao dia, ajuda. 

“É usar a lei da gravidade a favor do retorno venoso e linfático. O líquido vai naturalmente da posição mais alta para a mais baixa, então, ao se elevar pés e pernas acima do coração, promove-se drenagem eficiente e renovação da circulação, com nutrientes e oxigênio”, orienta. “A cada 50 minutos parado, levante e se movimente 10”, recomenda ainda.

*Especial para o Hoje em Dia