Diante de um baixo índice de vacinação de grupos prioritários, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe teve o prazo ampliado e agora vai até o dia 30 deste mês. 

Segundo o Ministério da Saúde, dos 77,7 milhões de pessoas consideradas público prioritário, 63,53% receberam a vacina. Com a prorrogação, a expectativa é vacinar mais 28,3 milhões de pessoas.

A campanha teve três fases. Dividida em duas etapas, a terceira e última fase, iniciada em 11 de maio, tinha previsão de vacinar 90% do grupo considerado prioritário até o dia 5 de junho. Como o resultado ainda está aquém do esperado, o governo adotou a estratégia de prorrogar a data final.

Segundo o Ministério da Saúde, até o último fim de semana 25,7% de 36,1 milhões de pessoas estimadas nesta terceira fase foram vacinadas. Em Minas Gerais, menos de 60% do público-alvo foi imunizado na terceira fase da campanha.

O número muito aquém do esperado preocupa especialistas, que temem por aumento dos casos e internações provocados pelo vírus da influenza.

Nesta segunda etapa, a campanha tem como foco principal os professores de escolas públicas e privadas e adultos de 55 a 59 anos. Já a primeira etapa (da terceira fase da campanha) teve como público-alvo pessoas com deficiência; crianças de 6 meses a menores de 6 anos; gestantes e mães no pós-parto até 45 dias.

Em nota, o secretário substituto de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Eduardo Macário, disse que, além de ser importante para reduzir complicações e óbitos em decorrência da gripe influenza, a prorrogação da campanha é “mais uma oportunidade para que os públicos de todas as fases, que ainda não se vacinaram, possam procurar de forma organizada as unidades de saúde”.

FRIO
Com a chegada do frio, a imunização se torna ainda mais importante. É nessa época que a gripe pode se agravar e levar a quadros de pneumonia, por exemplo, e exigir internações.

“É importante que todos se vacinem. Estamos nos aproximando de temperaturas mais baixas, com a chegada do inverno. É muito importante que tenhamos esses cuidados”, afirmou o secretário adjunto de Saúde de Minas, Marcelo Cabral.

Contando todas as fases da campanha, a cobertura vacinal acumulada em Minas até o momento é de 87,37%.


Menos da metade procura postos de MOC
A meta de imunizar 90% do público alvo, estipulada pelo Ministério da Saúde, passou bem longe do registrado em Montes Claros. Menos de 50% das pessoas que deveriam procurar um posto de saúde para se proteger contra a gripe nesta terceira fase o fizeram.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, é um público bastante vulnerável à influenza e existe o risco de óbito quando acometido, daí a importância da vacinação.

O não comparecimento pode ter ocorrido em virtude do medo da pandemia. Na etapa anterior, que contemplava idosos e profissionais da saúde, a vacinação ultrapassou os 100% de adesão com postos de vacinação na Unimontes – em sistema drive thru – e no Montes Claros Shopping, o que contribuiu para atingir a meta. 

Nesta última etapa, o sistema drive thru foi suspenso em razão da baixa adesão e pelas próprias características dos contemplados. É necessário a ida até o local de vacinação.

Para minimizar os riscos, a Secretaria Municipal informa que abriu mais de uma sala em praticamente todas as unidades que tem um fluxo maior, para que crianças e gestantes fiquem separadas dos demais públicos, a fim de diminuir a exposição e o contato.

As estratégias seguem a recomendação do Ministério da Saúde, com o uso de EPIS pelos profissionais.

(Com Márcia Vieira*)