Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que 13% da população global lida com a obesidade. A doença, considerada crônica, tem crescido em todos os países. Hoje, Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, especialistas alertam para a necessidade de se mudar hábitos de vida para evitar o ganho excessivo de peso e os riscos à saúde que esse mal pode causar.

No Brasil, a característica de sobrepeso afeta 55,7% das pessoas, sendo mais comum entre os homens. Já a temida obesidade passou de 11,8% para 19,8% nos últimos 12 anos, o que preocupa especialistas, caracterizando-se como um problema de saúde pública.

O alerta de que algo está errado na rotina dos brasileiros soa ainda mais alto quando se revelam os dados de obesidade e sobrepeso entre crianças e jovens. Segundo o Ministério da Saúde, 13% dos meninos e 10% das meninas de 5 a 19 anos sofrem desse mal.

O estudo ainda aponta que 89% das crianças e adolescentes acima do peso têm chances de serem adultos obesos. Nos últimos anos houve alta também no índice em duas faixas etárias: pessoas com idade que variam de 25 a 34 anos e de 35 a 44 anos, sendo principalmente mulheres.
 
FATORES
Médica endocrinologista da Clínica de Especialidades Médicas da Funorte (Cemed), Daniella Mota Mourão explica que a doença é multifatorial. “Acontece principalmente por causa da ingestão excessiva de alimentos, seguida pelo sedentarismo. Fatores genéticos (predisposição familiar) e fatores psicológicos (estresse e compulsão alimentar) também são causas de obesidade”, enumera.
 
PREVENÇÃO
A especialista alerta que a obesidade pode ser evitada desde a infância, através da adoção de hábitos alimentares saudáveis e da prática regular de atividade física.

Daniella afirma que o exercício físico está completamente ligado ao sucesso na luta contra a obesidade, evitando o desenvolvimento de outras doenças.

“A obesidade aumenta o risco de doenças como hipertensão arterial, dislipidemia (aumento do colesterol e/ou triglicérides), diabetes, esteatose hepática (acúmulo de gordura no fígado) e pode estar associada a alguns tipos de câncer. A prática de atividade física tem importante papel no tratamento e controle da obesidade, pois proporciona elevação do gasto calórico e resulta em melhora significativa da resistência à insulina e da composição corporal”, completa a médica.

SAIBA MAIS
Alimentação saudável na infância é fundamental
A preocupação com a qualidade dos alimentos ingeridos e com a prática de exercício físico na infância está ligada à prevenção de doenças ainda na fase infantil e também das consequências na vida adulta. Com o objetivo de minimizar o impacto sobre a alimentação das crianças, uma lei aprovada em 2018 proibia a comercialização de frituras, refrigerantes, doces e balas nas cantinas e na porta das escolas públicas e privadas de Minas Gerais. Entretanto, um dia após começar a valer, em junho deste ano, a lei foi suspensa por decreto.

O governo atual entendeu que era preciso realizar estudos complementares sobre o assunto que impactava diretamente na vida de comerciantes. 

Antecipando a decisão, a diretora do colégio Ímpar Escola de Criança explica que, com o auxílio do curso de Nutrição da Funorte e da Fasi, já desenvolve há anos um trabalho de alimentação saudável com as crianças por meio da inclusão de frutas na merenda e até plantio de uma horta.

“Entendemos que essa reorganização é imprescindível para uma alimentação saudável”, disse Fernanda Tavares, diretora da escola.

LEIA MAIS
Receita que muda vidas