No mês em que se chama a atenção para a prevenção do câncer de próstata – o Novembro Azul –, a Unimontes, em parceria com outras instituições, realiza uma campanha em Montes Claros. Até sábado (9), uma ação toma conta da Praça Doutor Carlos Versiani.

Segundo dado do Hospital Dilson Godinho, referência em tratamento oncológico no Norte de Minas, são atendidos, em média, 517 homens a cada mês com esse tipo de doença, que pode levar à morte.

Ao longo do mês, junto à comunidade acadêmica e ao público em geral, a Unimontes irá promover várias ações coletivas de atendimento. O trabalho vai além, com palestras e orientações sobre as doenças cardiovasculares e a prevenção a outros tipos de câncer.

Tendas estão montadas na praça, oferecendo atendimento gratuito à comunidade, com foco na informação ao público-alvo sobre a prevenção e os sintomas do câncer de próstata, do câncer de boca e triagem para a identificação do diabetes. Também serão realizadas apresentações culturais.

A DOENÇA
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a falta de informação e o preconceito com o exame de toque dificultam o diagnóstico precoce de tumores na próstata. Por causa disso, em mais de 90% dos casos, a doença já é descoberta em estágio avançado. 

A médica oncologista Ana Olívia Camargo explica que o câncer de próstata é silencioso, podendo ter como principais sintomas alterações urinárias, como jato urinário enfraquecido, retenção de urina, aumento da frequência urinária durante o dia ou à noite.

“O recomendado é que, a partir de 50 anos, seja feito o exame periódico: toque retal e o PSA (marcador tumoral detectado pelo exame de sangue). Se houver histórico familiar e se a pessoa for negra ou obesa, a recomendação é procurar um urologista a partir dos 45 anos”, conclui a especialista.