Montes Claros é a terceira cidade mineira a receber o maior número de vacinas contra o coronavírus. São 19.965 doses que serão utilizadas para imunizar pouco mais de 9 mil pessoas do grupo prioritário nessa primeira fase – duas doses para cada um. O município fica atrás apenas de Belo Horizonte (135.711) e Juiz de Fora (31.290).

A quantidade recebida de Coronavac irá proteger cerca de 2% da população. Por outro lado, São João das Missões, que tem pouco mais de 11.700 habitantes, foi contemplada com 10.372 doses – sexta posição no Estado –, que irão ser usadas em 5.186 moradores, o que equivale a 54% da população.

A diferença nessa distribuição segue as prioridades do Plano Nacional de Imunização, que traz a população indígena no grupo prioritário. Como diz o prefeito de São João das Missões, Jair Cavalcante Barbosa (Republicanos), “recebemos parcela significativa (37%) das doses encaminhas à Regional de Saúde de Januária porque grande parte de nossa população é de alto risco”. Cerca de 70% dos habitantes de São João das Missões são indígenas.

Já Montes Claros ficou à frente em quantidade de vacinas recebidas de cidades como Contagem, Betim e Uberlândia, que possuem população superior ao município norte-mineiro. 

No site da Secretaria de Estado de Saúde, a pasta informa que as doses foram distribuídas conforme critérios do Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. A nota aponta ainda que “a quantidade de doses para cada município foi feita de acordo com os dados alimentados pelos gestores municipais nos sistemas de informações federais”, que são o Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), o Cadastro Nacional da Assistência Social (CadSUAS) e o Departamento de Saúde Indígena (Desai).
 
APLICAÇÃO
Primeira cidade do interior do Estado a iniciar a vacinação contra a Covid-19, na última terça-feira, Montes Claros conseguiu imunizar 700 pessoas na quarta-feira (20), de acordo com informações passadas a O NORTE pela secretária Municipal de Saúde, Dulce Pimenta.

Segundo ela, “todos eles já receberão em 15 dias a segunda dose”. A gestora da pasta informou que grande parte dos que receberam a primeira dose da vacina na quarta-feira integram equipes de Saúde da Família.

“O agendamento de hospitais para o pessoal da linha de frente começou na quarta-feira à tarde. Possivelmente, vão informar a lista desses profissionais nas próximas horas”, disse ontem a titular da pasta de saúde, adiantando que um dos hospitais credenciados para o enfrentamento da pandemia já fez o agendamento junto à Coordenação de Vigilância Epidemiológica e receberia, ainda ontem, as equipes de saúde capacitadas para a vacinação.
 
NOVA REMESSA 
Dulce Pimenta argumentou ter garantia do governo do Estado de que a próxima remessa de vacina chegue no máximo em 15 dias. Além disso, a expectativa é a de que o novo lote pode ser bem maior que o da primeira leva. “Obviamente, 9.300 doses são insuficientes para imunizar mais de 20 mil profissionais de saúde da linha de frente. Então, serão priorizados os diretamente envolvidos, não apenas a Atenção Básica, mas, igualmente, os cinco hospitais que estão internando pacientes com a doença”, garantiu a secretária.

A vacinação também chegará ao Samu, responsável pelo transporte de pacientes, seguindo orientação do Ministério da Saúde. “Mas garantimos que todos serão vacinados no menor tempo possível, na medida em que as doses forem chegando”, enfatiza. 

Dulce Pimenta salientou que todo o trabalho, desde que foi definido pelo Estado o número de doses, “tem sido concentrado em identificar os que serão vacinados agora”. Segundo ela, todo o planejamento foi feito levando em conta que o município receberia 21 mil doses já na primeira remessa, o que não aconteceu.