O primeiro caso suspeito de incidência do coronavírus no Brasil é investigado em Minas Gerais. Trata-se de uma mulher de 22 anos que esteve em Wuhan, na China, e foi atendida na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Centro-Sul, em Belo Horizonte, na última sexta-feira (24). O Ministério da Saúde confirmou, ontem, que o caso é investigado pela pasta.

É o segundo em menos de uma semana – mas o anterior já foi descartado. Todas as 14 pessoas que tiveram mais próximos à jovem estão sendo acompanhadas.

Com isso, muda-se o nível de ativação do Centro de Operações de Emergência (COE) que, até a segunda-feira (27), era classificado como “estado de alerta”. Nesta terça, passa para o nível de “perigo iminente”. A pasta também recomenda que viagens à China sejam feitas apenas em casos de necessidade.

A escala do COE é de três níveis: o nível 1, de alerta, ativado em caso de observação e monitoramento de casos de novo vírus ou doença em outros países; o nível 2, de perigo iminente, ocorre quando há um caso suspeito de um novo vírus ou doença no Brasil; e o nível 3, de emergência na saúde pública, ocorre se o caso for confirmado.
 
MAIS ATENÇÃO 
O que muda entre os níveis 1 e 2, segundo o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, “é que precisamos estar extremamente atentos agora”. O objetivo é identificar se já há a circulação do vírus no país. Ainda conforme o Ministério da Saúde, foram registrados 7 mil rumores sobre o coronavírus no Brasil e 127 casos foram avaliados. Destes, dez foram notificados e somente um é tratado como suspeito, o da paciente de Minas Gerais.

A Secretaria de Estado de Saúde informou que a mulher de 22 anos foi transferida para o Hospital Eduardo de Menezes na noite de segunda para ser acompanhada. Ela apresentava sintomas respiratórios e febre baixa. “A paciente passa bem, já recebeu atendimento e todas as providências foram tomadas”, disse o órgão.

Em coletiva nesta terça, Mandetta ainda estima que até sexta-feira o caso, que se encaixa nos critérios estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), esteja esclarecido.

A paciente já teve uma amostra de sangue recolhida e alguns exames estão sendo realizados na Fundação Ezequiel Dias (Funed). Já o exame específico capaz de identificar o coronavírus será realizado na Fiocruz.
 
SITUAÇÃO NA CHINA 
O número de mortes causadas pela nova variante do coronavírus chegou a 106 na China, depois que autoridades da província de Hubei anunciaram 24 mortes na manhã de ontem. Autoridades de saúde daquele país afirmam que mais de 4 mil pessoas foram infectadas.